Logo Observador
Presidente Trump

Devin Nunes diz que não tem provas de conluio entre a campanha de Trump e a Rússia

O presidente da comissão dos serviços de informações do Congresso dos EUA diz não ter encontrado "qualquer prova" de conluio entre a campanha de Trump e a Rússia para influenciar as presidenciais.

As declarações de Devin Nunes surgiram numa entrevista à televisão Fox News

JIM LO SCALZO/EPA

O presidente da comissão dos serviços de informações do Congresso dos Estados Unidos, Devin Nunes, disse este domingo não ter encontrado “qualquer prova” de conluio entre a campanha de Donald Trump e a Rússia para influenciar as presidenciais.

“Dou-lhe uma resposta muito simples: não”, respondeu o congressista republicano lusodescendente a uma questão sobre se viu provas de uma tal conspiração, numa entrevista à televisão Fox News.

A afirmação de Nunes foi feita um dia antes de a comissão a que preside ouvir o diretor do FBI, James Comey, sobre as supostas ligações da equipa do presidente norte-americano a Moscovo e sobre a alegação de Trump de que foi escutado por ordem do antecessor, Barack Obama.

Nunes disse também não ter qualquer prova de que a Trump Tower, sede do conglomerado de empresas de Trump e da campanha, ter sido colocada sob escuta antes das eleições.

Os serviços de informações norte-americanos publicam em janeiro um relatório segundo o qual a Rússia pirateou contas de correio eletrónico de responsáveis do Partido Democrata e tentou interferir na campanha em benefício de Trump.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Maioria de Esquerda

Jogo da Glória: regras e regulamentos

Alberto Gonçalves
128

Na sua página do Facebook, um comentador lembra-lhe educadamente que, além de outras interessantes peculiaridades “culturais”, os ciganos também acham a homossexualidade uma “anomalia”. Recue uma casa