Papa em Fátima

Artigos com imagem do Papa Francisco são escassos e vendem pouco em Fátima

Nas lojas que rodeiam o Santuário de Fátima, os artigos com as imagens do Papa Francisco são os menos procurados. Os fiéis continuam a preferir pequenos objetos, de baixo preço, com imagens de Fátima.

Francisco será o quarto papa a visitar Fátima, a 12 e 13 de maio

PAULO NOVAIS / LUSA

Com a aproximação da data da visita do Papa Francisco a Fátima não se tem traduzido em vendas de artigos religiosos com a sua imagem, que existem em pouca quantidade e variedade nas lojas próximas do Santuário. “Por enquanto as pessoas não perguntam por artigos do Papa Francisco. Pedem mais coisas relacionadas com o Centenário [das Aparições de Fátima]”, disse à Agência Lusa Albertina Oliveira, que tem uma loja na praceta de S. José.

A cerca de um mês da visita papal, na pequena loja de Albertina Oliveira os únicos artigos religiosos alusivos a Francisco são ímanes para frigoríficos, que passam despercebidos no meio das estatuetas da Nossa Senhora de Fátima e das caixas coloridas dos terços, os artigos que mais continua a vender.

O mesmo referiu a sua vizinha Rosa Cheinho. “As pessoas ainda não estão a pedir artigos relacionados com o papa Francisco”, disse. “Eu tenho pouca coisa com ele e o que tenho vende pouco”, contou. Rosa tem à venda pequenas estatuetas de Francisco e de João Paulo II, mas são as do antigo papa, que visitou Fátima três vezes (em 1982, 1991 e 2000) que são as mais procuradas.

João Paulo II veio cá muitas vezes, era muito humilde e muito querido. Este (Francisco) também é, mas ainda não veio cá. Pode ser que comece a vender depois da sua visita a Fátima. Logo se vê”, afirmou.

Já a comerciante Fátima Gil tem apenas caixas de terços e velas com imagens de Francisco, “só mesmo para ter algo dele para o caso de algum cliente pedir”, porque “o próprio papa deu a entender que não gosta que metam a imagem dele em muitas coisas”. “Ele tem razão em não querer, porque ainda está vivo. Com o João Paulo II é diferente, porque ele já morreu, já é santo [foi canonizado em 2014] e é normal que haja muitas imagens dele”, considerou.

Do outro lado do recinto do Santuário, Luísa Freitas tem na sua loja uma maior variedade de artigos com imagens de Francisco: t-shirts, porta-chaves, canecas, velas, dezenas e ímanes. “Mas não vendo quase nada. As pessoas não procuram artigos do papa, mas sim do centenário”, frisou. Na sua opinião, estes artigos só terão mais venda quando o papa Francisco estiver em Fátima, a 12 e 13 de maio, “mas depois vai voltar tudo ao mesmo e o que vende é a imagem de Fátima”.

Nesses dias é que esses artigos vão vender mais, porque as pessoas vêm cá ver o papa e depois querem levar uma recordação”, considerou.

Tal como Fátima Gil, Luísa Freitas relaciona as fracas vendas com o facto de Francisco ainda não ter morrido. “Ele ainda está vivo, as pessoas ainda o estão a ver em carne e osso. E, como é habitual na nossa mentalidade, só se louvam as pessoas depois de morrerem”, referiu. Por enquanto — e à semelhança do que tem acontecido nos últimos anos — vende sobretudo pequenos artigos com imagens de Fátima, cujo preço não ultrapassa os dois euros, como pulseiras, porta-chaves e ímanes.

Na loja de António Reis, os clientes também procuram mais os artigos pequenos e baratos. Foi o caso de Cila Mota, natural do Caramulo, mas que está emigrada no Canadá e que, entre vários ímanes para frigorífico com imagens de Nossa Senhora de Fátima, comprou também um com a imagem de Francisco. “Como já não venho cá no próximo mês, quando o papa cá estiver, é uma recordação que levo comigo”, justificou.

Francisco será o quarto papa a visitar Fátima, a 12 e 13 de maio, presidindo ao centenário das Aparições na Cova da Iria. Estão também previstos encontros com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o primeiro-ministro, António Costa. Os últimos papas a estar em Fátima foram Paulo VI (1967), João Paulo II (1982, 1991, 2000) e Bento XVI (2010).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

O vídeo das nossas vidas

Helena Matos
904

Beija-mão presidencial ao Papa em Monte Real. Um primeiro-ministro a brincar às amas. O país olha para o lado. E indigna-se com o "Correio da Manhã". É a propaganda, senhores. É a propaganda.

Papa em Fátima

«Temos Mãe!»

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
700

É natural que os pais se alegrem com os êxitos dos seus filhos, mas não é comum que assumam as suas culpas quando sofrem a tristeza de um filho os ferir com a indignidade de um comportamento criminoso

Incêndios

Os escombros de Costa

Maria João Marques
1.337

Pior foi o ar sobranceiro, frio e robótico de Costa na sua declaração ao país na segunda feira. Conseguiu até exibir, após responder a uma pergunta, um meio sorriso de contentamento consigo próprio.

Orçamento do Estado

Tributação com sal q.b.

Susana Claro

Quando se atingem níveis de tributação em que os impostos indiretos são responsáveis por metade do preço de venda dos produtos, há que indagar se não estará na altura de decidir que Estado queremos.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site