IRS

Contribuintes têm até hoje para entregar declaração de IRS

O prazo para todos os contribuintes entregarem a declaração de Imposto do Rendimento de pessoas Singulares (IRS) relativa aos rendimentos auferidos em 2016 termina hoje.

António Cotrim/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O prazo para todos os contribuintes entregarem a declaração de Imposto do Rendimento de pessoas Singulares (IRS) relativa aos rendimentos auferidos em 2016 termina esta quarta-feira.

Este ano, o prazo para a entrega da declaração de IRS foi mais amplo, de 01 de abril a 31 de maio, e foi igual para todos os contribuintes, independente do tipo de rendimentos (pensionistas, de trabalho, recibos verdes ou outros) e da entrega da declaração (na Internet ou no papel).

Outra alteração introduzida este ano foi o preenchimento automático da declaração para os pensionistas e trabalhadores por conta de outrem sem dependentes ou ascendentes a cargo.

Estes contribuintes podem optar pelo IRS Automático, que permite que a declaração seja entregue de forma simples e rápida, bastando a validação dos dados inseridos automaticamente, ou pela entrega da declaração também com informação já pré-preenchida mas que o contribuinte pode alterar.

De acordo com o Portal das Finanças, até às 00:55 do dia 30 de maio, tinham sido entregues 4.897.493 declarações de IRS, sendo que no ano passado foram submetidas 5.397.730 declarações nas duas fases de entrega então existentes.

Quanto a reembolsos, o ministro das Finanças disse no parlamento que até 15 de maio tinham sido reembolsados 1.200 milhões de euros no âmbito da campanha de IRS deste ano, um valor que disse corresponder a “mais do dobro do que no ano passado”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Medicina

Mãe e avó

Pedro Vaz Patto

A respeitável intenção de ter um filho não pode levar a fazer deste um objeto de um desejo ou de um direito, a satisfazer esquecendo ou ultrapassado o seu supremo bem.

Pobreza

O dia mundial dos pobres, uma hipocrisia?!

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Com o valor, certamente astronómico, da hipotética venda da Pietà, milhões de pobres, que vivem agora na miséria, poderiam ser significativamente ajudados.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site