Incêndios

Dez incêndios em curso em Portugal continental às 16h30

188

Dez incêndios estavam em curso em Portugal continental às 16h30. Dois fogos nos distritos de Leiria, um no de Loures e outro no de Coimbra mobilizavam mais de 450 bombeiros.

FILIPE FARINHA/LUSA

Dez incêndios estavam em curso em Portugal continental às 16h30 deste sábado, sendo que dois fogos nos distritos de Leiria, um no de Loures e outro no de Coimbra mobilizavam nove meios aéreos e mais de 450 bombeiros. Segundo a informação disponível no ‘site’ da Autoridade Nacional da Proteção Civil, o fogo na localidade de Fonte Limpa, concelho de Góis (Coimbra), mobilizava três meios aéreos, 141 bombeiros e 32 viaturas.

No concelho de Pedrógão Grande (Leiria), na localidade de Escalos Fundeiros, o fogo mobilizava um meio aéreo, 105 homens e 33 viaturas. Em Loures (Lisboa), um meio aéreo, 207 homens e 63 viaturas combatem o fogo que lavra no Barro. Já no concelho de Mação (Santarém), um meio aéreo, 55 homens e 14 viaturas combatiam o incêndio ativo na localidade de São José das Matas.

Por seu turno, o incêndio em curso em Moninhos/ Fundeiros, no concelho de Figueiró dos Vinhos (Leiria), mobilizava um meio aéreo, 58 homens e 18 viaturas. Já no distrito de Faro, em Monte Ruivo, no concelho de Aljezur, um fogo estava a ser combatido por um meio aéreo, 22 homens e cinco viaturas, enquanto outro em Vale de Lobo, no concelho de Loulé, mobilizava um meio aéreo, 19 homens e cinco viaturas.

Às 16h55, a Proteção Civil dava conta da existência de 347 fogos em Portugal continental, 13 dos quais ativos, dois em resolução e 22 em conclusão. No total, estes incêndios mobilizavam 1.118 homens, 319 viaturas e 11 meios aéreos. Um incêndio em resolução significa, de acordo com a Proteção Civil, que não há perigo de propagação além do perímetro já atingido. Um fogo em conclusão é um incêndio extinto com pequenos focos de combustão dentro do perímetro atingido.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
António Costa

Pelos caminhos de Portugal

Paulo Tunhas

António Costa acha que “este ano foi particularmente saboroso para Portugal”. Houve, é verdade, os mortos dos fogos, houve Tancos, houve o caso da Raríssimas. Mas que importa isso?

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site