Concertos

Orquestra Metropolitana dá dois concertos de Ano Novo em Lisboa

A Orquestra Metropolitana de Lisboa vai dar concertos de Ano Novo em vários pontos do país e desloca-se, pela primeira vez, à Figueira da Foz.

PAULO CORDEIRO/LUSA

A Orquestra Metropolitana de Lisboa (OML) realiza, a 1 de janeiro de 2018, dois concertos de Ano Novo, em Lisboa, no Centro Cultural de Belém, às 11h30 e às 17h00, este já esgotado, conforme comunicação divulgada esta quarta-feira.

Além de Lisboa, a OML, dirigida pelo maestro Sebastian Perlowski, volta a tocar o programa de Ano Novo em Almada, no Teatro Joaquim Benite, no dia 4 janeiro, no Barreiro, no Auditório Augusto Cabrita Barreiro, no dia seguinte, no Porto, no Coliseu Porto, no dia 6, e, pela primeira vez, na Figueira da Foz, no Centro de Artes e Espetáculos, no dia 7.

O concerto abre com “Capricho Italiano”, de Tchaikovsky, e inclui, também deste compositor russo, Marcha, Valsa das Flores e Dança Russa “Trepak”, do bailado “O Quebra-Nozes”.

De Strauss II, serão interpretadas as polcas “Champanhe”, “Eljen a Magyar! (Viva a Hungria!)”, “Sob Trovões e Relâmpagos” e “Perpetuum mobile”. De Dvorák, as Danças Eslavas n.º 7 e n.º 8, e, de Kilar, “Orawa”, para orquestra de cordas. O programa da Figueira da Foz, no dia 7 de janeiro, inclui ainda “Inês, poemeto sinfónico”, de David de Sousa, compositor figueirense falecido há cerca de cem anos.

O maestro Sebastian Perlowski, de 37 anos, terminou com distinção o curso de direção no Departamento de Ópera e Orquestra Sinfónica da Academia de Música do Instituto de Jazz Karol Szymanowski, em Katowice, na Polónia, onde foi aluno de Jan Wincent Hawel e de Dariusz Janus. O maestro frequentou cursos de técnicas de direção, sob a orientação de Jorma Panula, Jin Wang Adrian Gnam e Yuri Simonov.

Em 2012, foi finalista no Concurso Internacional para Jovens Maestros, organizado pela OML, e classificou-se em 3.º lugar no Prémio no Concurso Internacional para Jovens Maestros, em Bucareste. No ano seguinte, um painel constituído por críticos, jornalistas e público nomeou-o “O Melhor Maestro da Ópera de Cracóvia dos Últimos Cinco Anos”.

Em 2014, venceu os concursos internacionais de direção da Geórgia, nos Estados Unidos, e de Córdoba, em Espanha, e, nesse mesmo ano, foi o único candidato não asiático a ser selecionado para o II Concurso Internacional de Direção de Música Chinesa, realizado em Hong Kong, tendo recebido o Prémio Especial de Direção. O maestro já dirigiu “a maior parte das orquestras da Polónia”, segundo informação da OML, tendo também regido, entre outras, a Orquestra Chinesa de Hong Kong e a Filarmónica George Enescu de Bucareste.

Atualmente, é responsável pelas classes de Composição, Arranjo e “Big Band” da Academia de Música do Instituto de Jazz Karol Szymanowski, onde leciona as disciplinas de Contraponto, Instrumentação, Técnicas de Composição Contemporâneas e Direção de Música do século XX. Sebastian Perlowski colabora regularmente com a Orquestra da Ópera de Cracóvia, na Polónia.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Cinema

“Against all odds”

Luis Carvalho Rodrigues

Em 1940 Winston Churchill tinha 65 anos. No dia em que tomou posse como primeiro-ministro, escreveu: “Toda a minha vida passada foi uma preparação para este momento e para esta prova.”

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site