Dia dos Namorados

Do Alentejo ao Douro: 10 enoturismos a tempo do dia dos namorados

799

Provas de vinho, visitas guiadas e menus temáticos. Reunimos 10 quintas com enoturismo, com e sem estadia, para que no dia de S. Valentim não lhe faltem pretextos para brindar a dois.

Vinhos Verdes

Quinta de Santa Cristina

A quinta tem uma história secular e está na mesma família há várias gerações. Situada em Celorico de Basto, na região dos Vinhos Verdes, a propriedade de 40 hectares abre as suas portas a tempo do dia dos namorados. Até 28 de fevereiro é possível gozar de um programa temático que começa com uma visita guiada pelas vinhas que, por esta altura, estarão nuas, despidas de cachos e folhas verdejantes. É durante o passeio entre vinhedos que o casal é convidado a plantar uma pequena videira e, se assim o desejar, deixar uma mensagem personalizada junto à planta. Como qualquer enoturismo que se preze, a visita continua pela adega — construída da raiz em 2014 e com capacidade para 1 milhão de litros –, que termina com a prova do espumante Quinta de Santa Cristina branco ou rosé.

Duração aproximada de 2h30, 30 euros para duas pessoas. Marcação obrigatória (enoturismo@garantiadasquintas.com, tel.: 912 527 396).

Monverde Hotel

Inaugurado em 2015, é o primeiro hotel vínico na região dos Vinhos Verdes — que se estende pela zona tradicionalmente conhecida como Entre-Douro-e-Minho. Feito essencialmente de madeira e pedra, o hotel funde-se com as muitas vinhas que o rodeiam, onde estão maioritariamente as castas loureiro, avesso, arinto, touriga nacional e vinhão. O Monverde é detido pela produtora Quinta da Lixa, está inserido numa propriedade de 30 hectares e tem 29 quartos intimistas, onde a ligação com a natureza é óbvia — a decoração ficou ao cuidado de Paulo Lobo. É no edifício principal, que em tempos foi uma casa senhorial, que se encontram a receção, o restaurante, o wine bar e ainda o spa e a piscina interior e exterior. O vinho verde é senhor no Monverde e o protagonista de vários pacotes de enoturismo (como provas comentadas ou a possibilidade de ser enólogo por um dia), mas há também aqueles especificamente desenhados a pensar no dia dos namorados: entre os dias 14 e 17 de fevereiro, existe a possibilidade de gozar uma noite de alojamento com pequeno-almoço, acesso gratuito ao circuito de spa, jantar para duas pessoas e desconto de 20% em todos os tratamentos de spa por 195 euros a noite para duas pessoas.

geral@monverde.pt, tel.: 255 143 100

Douro

Quinta de La Rosa

As águas calmas do rio Douro banham um dos lados da quinta que está na família de Sophia Bergqvist desde 1906. Os graus de parentesco são de especial importância nesta propriedade, também ela de olhos postos em socalcos e socalcos de vinha: em 2017 foi inaugurado a Cozinha da Clara, um restaurante de raiz portuguesa com especial enfoque em produtos locais e sazonais, que não deixou de lado a herança gastronómica da família nem os pratos do receituário da avó de Sophia. Também na Quinta de La Rosa há um programa específico para uma comemoração a dois: estadia de duas noites (há 10 quartos e quatro suites à disposição) com visita a adega e prova de vinhos, sem esquecer o menu de São Valentim composto por cinco pratos — incluindo a coderniz recheada com foie gras, o salmonete com ostra e tinta de choco e o magret de pato com arroz cremoso de açafrão e frutos vermelhos — deixados ao cuidado do chef Pedro Cardoso. O menu é naturalmente acompanhado pelos vinhos da carta do restaurante, elaborada por Jorge Moreira, o enólogo da quinta.

Programa por 440 euros por casal (400 euros, considerando o menu de três pratos). Pack válido para qualquer dia da semana, incluindo fim de semana, durante o mês de fevereiro (tel.: 254 732 254 ou 931 461 038).

Quinta do Crasto

Dos 135 hectares, 74 estão ocupados por vinhas. A Quinta do Crasto, situada na margem direita do rio Douro, não precisa de pacote temático para ser visitada. São vários os programas de enoturismo que são desenhados a pedido de todo e cada cliente, seja a habitual visita com prova de vinhos, seja as refeições que podem ser complementadas com passeios de barco pelo Douro serpenteante. Além das várias possibilidades, de referir a famosa piscina concebida a mando do génio de Eduardo Souto de Moura, que tem sido ao longo dos anos alvo de muita atenção, quer nacional quer internacional. O enoturismo da Quinta do Crasto recebeu em 2017, e pelo terceiro ano consecutivo, o Certificado de Excelência atribuído pelo TripAdvisor.

enoturismo@quintadocrasto.pt; tel.: 254 920 020 e 934 920 024

Quinta do Portal

A Quinta do Portal, no Alto Douro Vinhateiro, dedica-se à produção de vinhos DOC Douro, vinhos do Porto de categorias especiais e moscatéis, que resultam da mestria do enólogo Paulo Coutinho. Mais, desde 2010 que tem um armazém de estágio e envelhecimento de vinhos pensado e desenhado pelo arquiteto Álvaro Siza Vieira. Mais ainda, a quinta está dotada de alojamento e é precisamente na Casa das Pipas que os casais apaixonados podem passar uma ou duas noites (a partir de 160 euros e 200 euros, respetivamente), num ambiente rústico e com janelas viradas para as vinhas. O programa dedicado ao dia de S. Valentim continua, no dia 14, no restaurante da quinta, com um menu criado pelo chef Milton Ferreira (40 euros por pessoa), que começa com um cocktail de Moscatel do Douro Portal e termina com o Portal White 10 Anos e um LBV 2011 — à mesa chegam propostas como tempura de camarão com salada de abacate, bolos de bacalhau, mini-empatada de vitela maronesa e creme de castanha e ainda caldeirada de peixe.

reservas@quintadoportal.pt; tel.: 259 937 000 / 969 519 021

Dão

Quinta de Lemos

Ao longe fica um edifício de granito, com a assinatura do arquiteto Carvalho Araújo, ladeado por um sem-fim de vinhas. A Quinta de Lemos existe há cerca de 15 anos e é uma espécie de santuário que ajuda a promover o negócio da família: as toalhas, os tapetes e os lençóis de luxo da marca Abyss & Habidecor, já muito elogiada pelo The New York Times, e o vinho que nasce em plena região do Dão. Todos os anos, chegam 100 mil garrafas ao mercado nacional e internacional, sendo que na produção vinícola é dada primazia aos monovarietais, batizados em homenagem às mulheres da família. Por cá não há opção de estadia, ainda que o edifício esteja dotado de instalações memoráveis, mas sim o convite para se sentar à Mesa de Lemos e aí provar um menu especialmente feito para o dia dos namorados e do qual fazem parte pratos que englobam o atum dos Açores, o lagostim do Algarve, o bacalhau da Islândia e o bísaro de Trancoso. E para o momento da sobremesa fica o chocolate de São Tomé.

???????????? ( não me canso desta vista…)#quintadelemos #mesadelemos #chefsagency

A post shared by Adriana Fournier (@drifournier_chefsagency) on

Menu de jantar por 75 euros por pessoas mais 25 euros em caso de harmonização vínica.

Lisboa

Quinta de Sant’ana

Há muito que a Quinta de Sant’ana recebe e organiza casamentos, pelo que o mais provável é também servir de cenário de fundo ao romance entre dois namorados. A propriedade que em tempos foi oferecida pelo rei D. Luís I a Rosa Damasceno, a famosa atriz por quem se apaixonou, tem vários programas de enoturismo (como piqueniques ou almoços vínicos, além das habituais visitas guiadas, com James Frost, o dono, a servir de anfitrião) e disponibiliza estadia a quem queira por lá prenoitar: há quarto casas que dão guarida aos hóspedes, sendo que três delas já tiveram ocupações bem diferentes (desde a casa do caseiro aos antigos estábulos). O vinho aqui produzido é feito com o contributo do enólogo António Maçanita, desde 2005, e ao todo existem cerca de 12 hectares de vinha.

A wine farm for beautiful weddings!!

A post shared by Mariana Megre (@marianamegrefotografia) on

tourism@quintadesantana.com e events@quintadesantana.com; tel.: 261 963 550

Quinta do Gradil

A primeira coisa que se avista à chegada à Quinta do Gradil é a fachada de um palacete oitocentista rodeado por milhares de vinhas, mas também uma adega industrial, com tonéis de inox que se encaminham em direção ao céu. A propriedade, considerada uma das mais antigas no concelho do Cadaval, está bastante bem preparada para receber turistas de tantas que são as experiências ligadas ao enoturismo. A pensar na data romântica que se avizinha, a proposta recai sobre um menu específico, a ser degustado no restaurante da quinta, do qual fazem parte foie gras de pato e pêra rocha, carabineiro e medalhão de vitela, sendo que todos os pratos são harmonizados com vinhos da casa.

O menu está disponível ao almoço nos dias 14 e 15 e ao jantar a 16, 17 e 18 de fevereiro, mediante reserva antecipada de 24 horas (40 euros, com oferta de espumante;enoturismo@quintadogradil.pt e tel.: 917 791 974 / 914 909 216).

Alentejo

Herdade da Malhadinha Nova

É uma herdade tipicamente alentejana, comprada pela família Soares em 1998. De lá para cá, as terras em tempos abandonadas ganharam nova vida e atualmente servem de raiz ao vinho aqui produzido e aos animais de raça autóctones aqui criados em regime de proteção com denominação de origem protegida (DOP). A Herdade da Malhadinha está situada no coração do Baixo Alentejo e, também a pensar na data romântica que se aproxima, criou dois pacotes, de uma e duas noites (350 euros por pessoa em quarto duplo e 700 euros por pessoa em quarto duplo, respetivamente), que incluem visita à adega, seguida de uma prova de vinhos, e um menu romântico trabalhado pela equipa da Malhadinha e harmonizado com os vinhos da casa. Naturalmente, o programa varia consoante o tempo de estadia, embora ambos tenham em conta workshops diferentes, seja de olaria ou para aprender a fazer — muito a propósito — o “lenço dos namorados”.

#herdadedamalhadinhanova #alentejo #portugal #hotelrural #wine

A post shared by Luis Carballo (@luiscarballophoto) on

geral@malhadinhanova.pt; tel.: 284 965 432 / 429

Monte da Ravasqueira

O que não falta são experiências de enoturismo no Monte da Ravasqueira, seja pelos diferentes programas vínicos (provas incluídas), seja pelas visitas com almoços, jantares ou piqueniques. O Monte da Ravasqueira, na família Mello desde 1943, está situada em Arraiolos, no Alentejo das planícies ondulantes e das oliveiras que, aqui e ali, marcam a paisagem. Além da adega “imponente” — a primeira vindima data de 2001 –, o Museu Particular de Atrelagens, de diferentes épocas e estilos, é um dos grandes ex-líbris do monte, que aposta ainda na criação de cavalos Lusitanos.

ravasqueira@ravasqueira.com; tel.: 266 490 200

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site