Eleições Europeias

Alegre combate vírus de Paulo Rangel

"Há umas dezenas de anos houve um partido na Europa que disse que os judeus eram um vírus que era preciso exterminar", disse Alegre. Socialista acredita que PS vai dar uma "abada" nas legislativas.

Alegre discursou em Coimbra

Anda um vírus à solta nas campanhas eleitorais das eleições europeias. O da crítica e contra-crítica, num tom elevado. A fonte da epidemia começou nas palavras de Paulo Rangel que acusou os socialistas de serem “um vírus“. Ora, no lado da campanha de Francisco Assis, a resposta mais dura surgiu de um convidado especial: Manuel Alegre. O histórico socialista acusou o cabeça-de-lista da coligação de “não ter memória histórica” e lançou a comparação polémica associando Rangel ao partido nazi:

Há umas dezenas de anos houve um partido na Europa que disse que os judeus eram um vírus que era preciso exterminar”.

Alegre até ironizou com “a voz esganiçada” de Paulo Rangel, que “quanto mais magro, mais agressivo[fica]” e acusou-o de violar “todas as regras de convivência democrática” ao revelar “um espírito intolerante”. Alegre foi dar a mão a Assis que, não tem dúvida, vai ganhar as eleições, mas antes disso, enganou-se: “Eu acredito que nós vamos vencer as eleições legislativas… europeias e, falando numa linguagem futebolística, vamos dar-lhes uma abada nas legislativas”.

Assis falou depois de Alegre para uma sala cheia no Pavilhão Centro Portugal. Não foi tão longe nas classificações, mas exigiu “explicações” a Paulo Rangel: “Quem nos acusa de ser um vírus está a diminuir-se a si próprio. Paulo Rangel deve a partir de hoje uma explicação ao PS”. O candidato socialista lembrou o debate de domingo no Observador, onde se disse um homem que gostava da palavra para dizer que “a alternativa à palavra é a violência” e que ao comparar os socialistas a um vírus “isso revela um estado de espírito em que se encontra esta direita, que é a direita mais extremista que alguma vez apareceu no pós-25 de Abril”. O crispar entre as duas campanha vai aliás contra aquilo que foi pedido pelo Presidente da República, que pediu contenção nos discursos.

Oiça as melhores histórias destas eleições europeias no podcast do Observador Eurovisões, publicado de segunda a sexta-feira até ao dia do voto.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Ambiente

A onda verde na UE e os nacionalismos

Inês Pina
134

Se hoje reduzíssemos as emissões de CO2 a zero já não impedíamos a subida de dois graus centígrados. E estes “míseros” dois graus vão conduzir ao fim das calotas polares e à subida do nível do mar.

Eleições Europeias

Os ventos que sopram da Europa

Jose Pedro Anacoreta Correira

É preciso explicar que o combate pela redução de impostos não significa menos preocupação social. É precisamente o inverso: um Estado menos pesado contribui para uma sociedade mais justa. 

Ministério Público

A democratura em roupão e com unhas

José P. Ribeiro de Albuquerque.

Sobre as propostas de alteração apresentadas pelo PS e PSD, em sede de apreciação na especialidade, à proposta do Governo que visa aprovar o novo estatuto do Ministério Público.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)