Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A 67º edição do Festival de Cannes discute mais do que o melhor cinema do ano. O evento traz à Riviera Francesa estrelas que, vestidas a rigor, proporcionam um desfile de cores, formas e elegância. Às marcas sonantes de vestidos, juntam-se joias poderosas e penteados pensados ao pormenor. Será este o paraíso da alta-costura?

Nomes como Nicole Kidman, Blake Lively e Zoe Saldana brindaram a cerimónia de abertura do festival, que começou a 14 de maio, com trajes sensuais e até provocadores. Foram, sem dúvida, o centro das atenções na tradicional passadeira vermelha. Lively, a miúda loira que ascendeu à fama com a série norte-americana Gossip Girl, escolheu vestir-se em Gucci Première, coberta em tons bordeaux e com um rasgado decote a que ninguém foi indiferente.

Jane Fonda, aos 76 anos, terá deixado os fãs de Angelina Jolie, de 38, de queixo caído, ao usar o mesmo vestido Elie Saab que a futura mulher de Brad Pitt levou para a cerimónia dos Óscares deste ano. Apesar dos tons distintos – Jolie deixou-se encantar pelo nude e Fonda escolheu um garrido bordeaux –, a situação fez com que os média internacionais se questionassem: quem fica melhor?

Os restantes dias do evento ficaram marcados pelas presenças de Julianne Moore, num Louis Vuitton, e pela  modelo etíope Liya Kebede, com um curto e cintilante vestido azul de Roberto Cavalli. Para a para publicação Huffington Post, a atriz australiana Cate Blanchett pensou “fora da caixa” ao usar um vestido da conhecida Givenchy, cujo corpete multicolor e com joias incrustadas vai de encontro à saia chiffon. Uma Thurman, no seu Versace amarelo e esvoaçante, Jennifer Lawrence, a “menina” que vestiu Christian Dior, e a modelo e atriz Rosie Huntington-Whiteley, numa peça de Emilio Pucci, são alguns bons exemplos de estilo segundo a Vanity Fair.

 

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR