Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

É como que uma casa meio por acabar, meio aberta ao rio e à cidade, a escultura que Rui Sanches imaginou para homenagear Maria José Nogueira Pinto e que ontem foi inaugurada pelo presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, na Ribeira das Naus. Assistiu uma centena de pessoas, entre as quais três ministros – Paulo Portas, Rui Machete e Pires de Lima –, a primeira dama, Maria Cavaco Silva, e muitos amigos e amigas da antiga dirigente política e vereadora da edilidade lisboeta, como Manuel Ferreira Leite, Guilherme de Oliveira Martins, Manuel Braga da Cruz, Isabel Mota ou Leonor Beleza.

Depois de descerrada uma lápide, António Costa lembrou o trabalho realizado por Maria José Nogueira Pinto em programas como o da Baixa-Chiado ou em instituições como a Maternidade Alfredo da Costa e a Misericórdia de Lisboa.

Em nome da família falou Jaime Nogueira Pinto, que fez uma evocação emocionada da mulher com quem partilhou 40 anos de vida. Lembrou-a como um “exemplo de amor à comunidade”, uma mulher dedicada que vivia intensamente a sua cidade, Lisboa.

Maria José Nogueira Pinto morreu em Julho de 2011, na sequência de um cancro no pâncreas. O monumento recorda-a através de uma simples citação: “Acho que descobri a política – como amor da cidade e do seu bem – em casa”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR