A corrida arrancava às 4h (meia-noite no Brasil). A partir daí, a missão era estar colado ao computador, ser rápido a clicar e esperar que a sorte desse para chegar aos bilhetes para os jogos desejados. Na madrugada desta quarta-feira, a FIFA colocou à venda, no seu site, cerca de 180 mil ingressos para os 64 encontros do Mundial – e bastou uma hora para esgotar os bilhetes disponíveis para o jogo de abertura e a final. E no Brasil-Croácia, partida que inaugura a competição a 12 de junho, 80% dos lugares do Itaqueirão, estádio de São Paulo, estarão preenchidos por brasileiros.

A garantia é da Folha de São Paulo que, duas horas após o início da venda online dos bilhetes, escreveu que oito em cada dez ingressos “foram distribuídos ou comprados” no Brasil. Para a final, que se realiza a 11 de junho no Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro, também já não há bilhetes.

O número de acessos simultâneos ao site da FIFA levou a que vários pessoas nem conseguissem chegar perto da fase de compra dos bilhetes. A Veja noticia que milhares de utilizadores terão ficado retidos numa “sala de espera virtual”. Outros tantos, que até alcançaram a etapa de escolher o jogo e os respetivos lugares na bancada do estádio, foram remetidos para o início do processo quando queriam comprar o bilhete – o site os informava-os que os ingressos já tinham sido comprados. Segundo a revista, a FIFA justificou os problemas com a “demanda muito alta dos acessos” ao site.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Face aos problemas na compra online dos bilhetes, centenas de pessoas foram à página oficial do Mundial, no Facebook, e deixaram críticas à FIFA. A entidade que gere o futebol internacional ainda não revelou o número de bilhetes vendidos. Na terça-feira, contudo, avisou que, caso sobrassem ingressos, eles seriam enviados para os locais oficiais de venda localizados nas 12 cidades-sede do Mundial, no Brasil.

Centenas de pessoas foram à página oficial do Mundial no Facebook e protestaram contra os problemas na compra online dos bilhetes.

Cerca de 2,5 milhões de bilhetes já foram vendidos para os 64 encontros do campeonato do mundo, segundo a FIFA. No meio deles há um dado curioso. Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal do Brasil, comprou um bilhete para assistir ao Portugal-Gana, a 26 de junho. Porquê? Segundo a Folha de São Paulo, o dirigente visitou o país africano em março, onde soube que alguns dos seus antepassados foram do Gana para o Brasil para servirem de escravos.