Redação, 21 jun (Lusa) – O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, sinalizou hoje numa entrevista a um jornal holandês que as taxas de juro de referência na zona euro deverão permanecer em níveis baixos durante, pelo menos, mais dois anos e meio.

“Nós prolongámos o acesso dos bancos a liquidez ilimitada até ao final de 2016. Isso é um sinal”, afirmou Draghi numa entrevista hoje publicada pelo De Telegraaf, depois de questionado sobre durante quanto tempo serão mantidas as taxas de juro, conforme noticiou a agência de informação financeira Bloomberg.

No início de junho, o BCE cortou a taxa de juro diretora para o novo mínimo histórico de 0,15% e colocou em valor negativo (-0,10%) a taxa de depósitos, sendo esta última uma medida inédita num banco central de grande dimensão. Na mesma ocasião, a instituição presidida por Mario Draghi anunciou ainda dois empréstimos de longo prazo aos bancos da zona euro para incentivar o crédito e estimular a economia.

“O nosso programa de apoio ao financiamento bancário da economia vai manter-se durante quatro anos. Isto mostra que as taxas de juro vão permanecer baixas durante um longo período. Mas, depois, vão subir quando a recuperação económica da região for firme”, salientou.

Passou um ano desde que o bloco económico de 18 países deixou para trás a sua maior recessão, mas o BCE continua a lutar contra uma taxa de inflação demasiado baixa e a tentar impulsionar a procura. Este mês, Draghi implementou um pacote de medidas cujo alcance não tem precedentes, até porque a retoma “ainda é fraca e mal distribuída pela zona euro”, frisou o responsável na entrevista ao jornal holandês. “Podem acontecer acidentes na economia global que podem alterar rapidamente a situação”, alertou.