Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A treinadora portuguesa que foi contratada para o comando técnico dos franceses do Clermont Foot 63, demitiu-se do cargo e explicou esta terça-feira as razões da decisão. Acusa o diretor desportivo de contratar jogadores sem o seu acordo. “Considero inadmissível que o/a treinador(a) tome conhecimento da contratação de jogadores novos pela secretária do Clube”, completa a treinadora, e acrescenta que o mesmo diretor “não respondeu aos e-mails, ou enviou qualquer mensagem durante cinco dias da semana anterior ao inicio dos trabalhos, quando todos os dias foi por mim questionado através de e-mail.”

Helena Costa acrescenta que “no domingo dia 22/06/2014 não estava igualmente no poder das necessárias informações, para planear (embora já tardiamente) toda a semana de trabalho e comunicá-la na reunião com o staff técnico que decorreu às 19h” e diz que decidiu escrever o comunicado “após ter lido declarações do Sr Presidente (com quem sempre tive as melhores relações), declarações essas que não estão de acordo com o que os meus empresários, eu e supostamente o clube decidimos expôr na conferência de imprensa”. Por fim, Helena Costa avalia a atitude do clube como “total falta de respeito, bem como total amadorismo”.

A portuguesa demitiu-se um dia antes do seu primeiro treino (estava agendado para dia 24). Claude Michy, o presidente deste clube da segunda divisão francesa, reagiu logo à decisão: “Helena Costa decidiu não honrar os seus compromissos com o Clermont Foot 63. É uma decisão repentina e surpreendente”, afirma o líder do Clermont Foot 63, num comunicado publicado no site da equipa. “Lamento profundamente esta situação”, acrescenta ainda a nota.

Helena Costa foi nomeada para o cargo a 7 de maio. Caso não se tivesse demitido, Helena Costa seria a primeira mulher a orientar uma equipa masculina de futebol profissional.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR