Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Atenção, nem todos temos dentes brancos. A tonalidade da nossa dentição é, também, uma herança genética. Mas há cuidados e fórmulas que, a serem seguidas, podem torná-los mais esplendorosos. O especialista em otodontologia  Iván Malagón explica no El País como conseguir o branqueamento perfeito.

1. Evitar o tabaco e tudo o que possa estragar o esmalte dos dentes, como café, vinho tinto e bebidas com gás.

2. Ser escrupuloso com a higiene dental: não basta escovar os dentes três vezes ao dia. Deve fazê-lo sempre depois de comer. Se não lavar os dentes a seguir a beber um café, nas horas seguintes a cafeína vai impregnar nos seus dentes. Ah. Não esquecer que deve usar-se o fio dentário, pelo menos, uma vez por dia. Passá-lo por todos os dentes e só depois escová-los. (Lembra-se do filme “Sonho de Mulher”?). Se o seu especialista assim recomendar, também deve bochehar uma solução com flúor.

3. Para restaurar a cor natural dos seus dentes, que vão perdendo a tonalidade com o passar dos anos, há tratamentos especiais que pode fazer através de um especialista. Há várias opções, mas o sistema mais inovador, eficaz e seguro é o branqueamento dental com luz LED. Numa hora, é possível aclarar as manchas do esmalte sem o prejudicar.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

4. Atenção! Opções com bicabornato de sódio são perigosas porque podem provocar a erosão do esmalte de forma irreversível. Também os tratamentos à base de dentrífico e colutórios são menos eficazes. O uso deste género de “kits” de branqueamento não é recomendado.

5. Último mandamento: a cor dos dentes deve ser natural. Ter consciência que não existem dentes 100% brancos.