Imagine que vai na rua e, de repente, é abordado por duas pessoas com intenções “menos simpáticas”. Ou que está numa manifestação, em frente à Assembleia da República, e um polícia quer levá-lo para esquadra sem razão aparente. Em ambas as situações, é melhor avisar alguém ou pedir ajuda. Sem entrar em pânico. E se só tivesse de carregar um botão no seu telemóvel para pedir ajuda?

“Botão de Pânico”, uma aplicação lançada pela Amnistia Internacional (AI), promete ajudar ativistas, jornalistas e não só, a pedir ajuda de forma rápida e segura, em situações de crise.

A ideia para a aplicação surgiu, em 2012, após a AI ter lançado um programa de desenvolvimento tecnológico, com apoio da Google, para “encontrar formas de utilizar a tecnologia para proteger melhor ativistas e jornalistas”. A ideia em si, não é propriamente nova. Por exemplo, na Venezuela, já existe uma aplicação semelhante com ligação direta às forças policiais. Mas a aplicação da AI é a única que está “camuflada” dentro do telemóvel.

Para ter esta segurança no bolso, basta instalar a aplicação que é grátis. Depois, selecionam-se três contactos de urgência. Após isto, o “Botão de Pânico” vai disfarçar-se com uma aplicação de calculadora. “O design invisível pode significar a diferença entre a vida e morte”, lê-se na página da internet da Amnistia.

Para utilizar, não é sequer necessário abrir a aplicação. Basta premir o botão da energia do telemóvel muitas vezes e rapidamente. A aplicação vai enviar mensagens com alertas e a localização do telemóvel, de cinco em cinco minutos, para os contactos de emergência até ficar sem bateria ou seja desligado.

Ibrahim Alsafi, ativista dos direitos humanos no Sudão, lembra, no Tumblr da aplicação, o caso de muitos protestantes, em diversos países, que são detidos indefinidamente pelos governos, devido a não conseguirem denunciar o que se está a passar.

Apesar de todas as virtudes da aplicação, existe um lado mau nesta história. Devido ao “Botão de Pânico” ter necessidade de acesso profundo ao sistema operativo do telemóvel, só funciona no sistema operativo Android.