Rádio Observador

Mercadorias

Movimento nos portos atinge valor recorde

Nos primeiros cinco meses de 2014, o movimento de carga movimentada representa um aumento de 2,3% relativamente ao período homólogo.

Viana do Castelo, Setúbal, Aveiro, Leixões e Lisboa deram os maiores contributos para o aumento do movimento

AFP/Getty Images

Autor
  • Agência Lusa

O movimento de mercadorias nos sete principais portos portugueses atingiu um volume de cerca de 32,5 milhões de toneladas até maio, o valor mais elevado nos períodos homólogos, segundo o Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT).

Nos primeiros cinco meses do ano, o movimento de carga movimentada representa um aumento de 2,3% relativamente ao período homólogo, resultando da contribuição positiva dos portos de Viana do Castelo, Setúbal, Aveiro, Leixões e Lisboa. Já Sines e Figueira da Foz registaram uma queda no movimento de mercadorias, de 4,9% e de 3,1%, respetivamente. A melhor marca global foi determinada pelos valores máximos de sempre registados nos portos de Leixões, Aveiro e de Setúbal, anunciou hoje em comunicado o IMT.

Apesar de ter diminuído para 41,8% os 44,9% registados no período homólogo de 2013, Sines continua a ser líder em termos de carga movimentada, seguido de Leixões com 23% e de Lisboa com 15,3%. Também o movimento de contentores entre janeiro a maio atingiu o valor mais elevado de sempre (de 1.004.811 TEU), superior em 19,9% ao período homólogo de 2013, com Setúbal a destacar-se ao registar um acréscimo de 87% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Sines continua a ser líder deste segmento de tráfego, tendo reforçado neste período, representando 48,5% do movimento em TEU, valor mais elevado de sempre nos períodos de janeiro a maio. Na segunda posição surge o porto de Leixões com 27,1% e Lisboa com 19,1%. No porto de Lisboa registou-se uma redução de 16,7% no movimento de contentores nos primeiros cinco meses deste ano comparativamente ao mesmo período de 2013, sendo o pior movimento dos períodos homólogos dos últimos 12 anos.

“O porto de Setúbal continua a refletir o efeito das duas linhas de serviço regular de contentores que iniciaram atividade em dezembro de 2013, que tendem a consolidar-se neste porto”, explica o IMT no documento hoje divulgado. O movimento de navios reflete um total de 4.275 escalas, menos uma escala do que no período homólogo de 2013. O porto de Sines contraria a tendência geral e registou o valor mais elevado dos períodos homólogos desde o ano 2000.

 

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Legislativas

Afluir de Rio em Costa instável

Gonçalo Sobral Martins

O líder do PSD fez ver que Portugal não soube aproveitar uma conjuntura externa extraordinária: apesar dos juros do BCE e do crescimento económico da zona-euro, nada melhorou substancialmente.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)