A adesão à greve de 24 horas dos trabalhadores da rádio TSF e da Global Imagens, em defesa dos postos de trabalho, é “muitíssimo significativa”, chegando a 90% na madrugada e na manhã desta sexta-feira, disse à Lusa fonte sindical.

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) convocou para esta sexta-feira uma greve no grupo Controlinveste, que detém o Jornal de Notícias, o Diário de Notícias e a TSF, entre outros, contra o despedimento coletivo de 140 trabalhadores.

“Na TSF temos uma adesão muitíssimo significativa com efeitos claros na antena. No turno da madrugada e manhã, a adesão será da ordem dos 90% afetando claramente noticiários e a própria programação”, adiantou Alfredo Maia, salientando que a direção da rádio tem vindo a emitir notas a dar conta de que a emissão está a ser afetada.

“A greve na TSF afeta a programação da rádio. Retomaremos a normalidade logo que possível”, referiu a TSF durante a madrugada e manhã.

O presidente do SJ realçou que a animação da TSF foi também afetada, uma vez que não há animadores de serviço, estando estes a ser substituídos por dispositivos automáticos e por música.

“Em relação à Global Imagens, a adesão também é muito significativa (90%), quer no Porto quer em Lisboa, afetando o fornecimento de fotografias ao jornal O Jogo, Jornal de Notícias e ao Diário de Notícias”, indicou.

Alfredo Maia disse ainda que não tem dados relativamente aos jornais.

“Não temos ainda uma avaliação, só à tarde, assim como em relação ao Dinheiro Vivo, mas não temos dúvidas que as edições serão afetadas”, concluiu.

De acordo com o SJ, “o despedimento coletivo de 140 trabalhadores, 66 dos quais jornalistas, assume uma violência e uma dimensão que não há memória nas quatro décadas da democracia portuguesa, pelo que uma forte adesão à greve é essencial para repudiar o despedimento coletivo e a descaracterização dos títulos” detidos pelo grupo.

Em causa, segundo SJ, está a “defesa dos postos de trabalho, assim como a qualidade de informação produzida pelo Diário de Notícias, Jornal de Notícias, O Jogo, Notícias Magazine, TSF e Global Imagens”.

Na segunda-feira, dezenas de trabalhadores da Controlinveste concentraram-se em Lisboa para contestar o despedimento coletivo no grupo de comunicação social e alertar para o impacto que a medida terá no pluralismo da informação e na democracia portuguesa.

Entre os títulos afetados pela decisão da administração, liderada por Proença de Carvalho, está o Jornal de Notícias, em que está previsto o encerramento das delegações de Braga, Viana do Castelo e Coimbra e o despedimento de 10 jornalistas em Lisboa, com o desaparecimento da totalidade da secção de política.

O grupo pretende despedir 140 trabalhadores e negociar a saída de mais 20.