Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Grupo Espírito Santo (GES) entregou 15% do capital da ESFG, que é ainda a maior accionista do BES, como garantia para obter um financiamento da Caixa Geral de Depósitos, segundo o relatório e contas da Rioforte, a que o Diário Económico teve acesso. E terá dado como colaterais a três outros bancos outros três hospitais que fazem parte da Espírito Santo Saúde.

Segundo o mesmo jornal, a CGD ficou com 32 milhões de acções da Espírito Santo Financial Group (ESFG), uma empresa que está em risco de insolvência.

Também o Hospital da Luz serviu de colateral num financiamento de 96 milhões de euros do BCP,  o Hospital da Arrábida foi entregue à CGD, num empréstimo de 20 milhões de euros, enquanto o Hospital do Mar serviu para garantir um financiamento de 9,2 milhões de euros do BPI.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR