A Moody’s subiu o rating da dívida pública portuguesa, de Ba2 para Ba1, ao qual associou uma perspetiva estável, salientando o papel do Governo na minimização das consequências orçamentais das decisões do Tribunal Constitucional, divulgou a agência de notação.

A decisão é justificada com dois fatores-chave, entre eles a manutenção da consolidação orçamental, “apesar das decisões desfavoráveis do Tribunal Constitucional português”, e a “confortável liquidez do Governo, com a recuperação do acesso ao mercado da dívida pública e uma muito grande almofada em numerário”.

A agência de notação financeira já incorporou a situação do Banco Espírito Santo nas suas apreciações e adiantou que “não espera que as atuais incertezas tenham impacto material nas contas públicas”.

A Moody’s anunciou também ter revisto em alta a notação da dívida da Parpública — Participações Públicas, por ser de propriedade pública e dadas as ligações muito próximas com o Governo e a forte evidência do apoio financeiro governamental.