Um ‘conselho’ do vice-primeiro-ministro turco desencadeou uma avalanche de reações no Twitter. Bulent Arinc, na passada terça-feira, durante um discurso que marcou o fim do Ramadão, num país que apesar de laico a maioria é muçulmana, afirmou que as mulheres não devem rir em publico.

“As mulheres têm de saber ser contidas. Devem conhecer a diferença entre espaço público e espaço privado “, afirmou o governante.

Em resposta a esta demanda, várias mulheres turcas inundaram o Twitter com posts de fotografias a rir. Os tags, como reporta o The Guardian, eram #direnkahkaha (riso de resistência) e #direnkadin (mulheres resistentes).

No entanto, não foram só as mulheres que se revoltaram contra estas declarações segregadoras, os homens também mostraram o seu desagrado com a situação e deixaram mensagens no Twitter de solidariedade para com a população feminina.

“Os homens de um país em que as mulheres não são permitidas a rir são covardes”, postou um cidadão turco no Twitter.

Também vozes da oposição fizeram-se sentir contra Bulent Arinc. Ekmeleddin Ihsanoglu, o principal candidato da oposição referiu que, “mais do que qualquer outra coisa, o nosso país precisa de mulheres a sorrir e de ouvir todos a rir”.

O vice-primeiro-ministro conservador foi contestado não só pelos turcos, mas também por todo o mundo, que através do Twitter mostra a sua insatisfação. Muitas são as fotografias com pessoas a sorrir para desafiar as declarações de Bulent Aric.

President of Turkish Parliament Bulent Arinc answers a journalist's question in Delegation Hall of the parliament building, 25 June 2003 in Budapest, during a joint press conference with his Hungarian counterpart Katalin Szili. Arinc pays a three-day official visit to Hungary.  AFP PHOTO ATTILA KISBENEDEK  (Photo credit should read ATTILA KISBENEDEK/AFP/Getty Images)

Bulent Arinc é conhecido pela sua atitude conservadora.