A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) anunciou esta terça-feira ter levantado a suspensão da negociação de vários instrumentos financeiros do BES, que tinha sido decretada na passada segunda-feira, alegando já não existirem motivos para a interrupção.

Em comunicado esta terça-feira divulgado, a CMVM anuncia “o levantamento da suspensão da negociação” de vários instrumentos financeiros do Banco Espírito Santo, “por terem cessado os motivos que justificaram a suspensão”.

Na segunda-feira, a comissão do mercado tinha determinado a suspensão de uma lista de instrumentos financeiros que incluía cerca de 50 obrigações e produtos estruturados emitidos pelo BES, BES Finance, Tranquilidade Vida e BESI.

O Banco de Portugal anunciou no domingo o fim do BES e a separação do banco fundado pela família Espírito Santo entre um ‘bad bank’ (‘banco mau’), em que ficam os ativos tóxicos, e o Novo Banco, que reúne os ativos não tóxicos, como os depósitos e que receberá uma injeção de 4,9 mil milhões de euros para o capitalizar, através do Fundo de Resolução bancário.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O Novo Banco, que será liderado por Vítor Bento, que sucedeu ao líder histórico Ricardo Salgado na presidência do BES, fica com as agências e trabalhadores do BES, sendo que na segunda-feira os balcões abrem ainda com a imagem do BES e os clientes encontrarão lá as caras habituais e os mesmos serviços.

No futuro, com a entrada de investidores privados no capital deste Novo Banco, que para já fica a ser totalmente detido pelo Fundo de Resolução, poderá haver mexidas na instituição, com saída de trabalhadores e fecho de agências.