A operadora brasileira de telecomunicações Oi anunciou esta quarta-feira um prejuízo de 221 milhões de reais (73 milhões de euros) no segundo trimestre de 2014, o primeiro em que apresenta contas consolidadas com a Portugal Telecom (PT).

No comunicado enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Oi explica a “queda sequencial” deste trimestre com “um menor EBIT [lucros antes de impostos e juros] seguido de um EBITDA [lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações] impactado por menores receitas não-rotina”, nomeadamente o impacto de 1.247 milhões de reais (410 milhões de euros) referentes à venda do segundo lote de torres móveis.

Salienta ainda que “o resultado do segundo trimestre de 2014 não é comparável aos trimestres anteriores, devido à consolidação dos resultados da PT Portugal desde maio de 2014”.

O resultado líquido da PT do segundo trimestre é consolidado na Oi depois do aumento de capital concretizado pela operadora brasileira a 5 de maio. A receita líquida total alcançou 9.024 milhões de reais (2.968 milhões de euros), o que significa um crescimento homólogo de 0,4%, que beneficiou da valorização do euro face ao real brasileiro.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A receita dos negócios no Brasil caiu 2%, para 6.935 milhões de reais (2.281 milhões de euros), enquanto em Portugal cresceu 9,5%, em termos homólogos, alcançando 1.853 milhões de reais, refletindo o impacto favorável do câmbio.

Em euros, a receita líquida representou 606 milhões de euros, o que significa um decréscimo de 3,4% face ao trimestre homólogo.