Cada turista não residente em Portugal, inquirido na região do Algarve, gastou uma média de 81,3 euros por dia em 2013, indicou esta quinta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com os resultados do inquérito aos gastos turísticos internacionais no Algarve em 2013, esta quinta-feira divulgados, o gasto médio foi superior durante a época alta (entre 22 de julho e 18 de agosto), quando por dia atingiu 85,4 euros. Este valor baixou para 72,9 euros gastos diariamente, em média, durante a época baixa (entre 21 de outubro e 17 de novembro).

Por tipo de fronteira, os turistas que entraram no país por via aérea fizeram despesas diárias mais elevadas do que aqueles que chegaram por via rodoviária, respetivamente de 89,5 euros e 60,6 euros.

Lazer, recreio e férias foi a principal motivação para a visita ao Algarve, no caso de 91,1% das viagens realizadas e independentemente da época do ano. Quanto às visitas a familiares e amigos, representam 7,1% do total, enquanto os motivos profissionais ou de negócios têm uma importância residual (1,2%), adianta o INE.

No entanto, nota o instituto, “embora com uma representatividade muito reduzida para a região, os inquiridos não residentes que se deslocaram ao Algarve por motivos profissionais ou de negócios foram os que despenderam o montante médio diário mais elevado, em especial na ápoca alta”, atingindo nessa altura os 132,9 euros.

Já nas viagens por lazer, recreio e férias, as despesas diárias ficam em média nos 82,8 euros (valor que sobe para 86,9 euros na época alta). Na visita a familiares e amigos o valor indicado é de 58,4 euros, “pelo facto que muitos dos inquiridos que indicaram este motivo não realizarem gastos com alojamento.”

Da análise aos países de residência dos turistas que chegaram de avião ao Algarve, são os naturais do Canadá aqueles que gastaram mais dinheiro diariamente (128,9 euros, em média) e com maior disparidade entre épocas, nota o INE.

Já os residentes em França “evidenciam um gasto médio diário insensível à época do ano” (cerca de 80 euros diários), enquanto os turistas residentes na Escandinávia registam “gastos médios diários superiores na época baixa à época alta” (respetivamente 92,3 euros e 83,4 euros), isto “provavelmente devido à prática de golfe realizada em especial na época baixa”, explica.

Quanto aos turistas que chegaram à região por estrada, gastaram em média 63 euros por dia durante a época alta. “Os turistas provenientes de Espanha foram os únicos que realizaram gastos médios superiores aos valores médios da fronteira (68,1 euros)”, sublinha o INE.

Na época baixa, o gasto médio diário dos turistas que vieram por via rodoviária foi de 54 euros. Foram os residentes na Bélgica, Países Baixos e Alemanha que menos dinheiro gastaram por dia (29 euros e 33,9 euros, respetivamente), indicam os resultados do inquérito.

O inquérito aos gastos turísticos internacionais realizou-se em 2013 de 22 de julho a 18 de agosto (época alta) e de 21 de outubro a 17 de novembro (época baixa).

Num total de 41.542 entrevistas validadas, 8.210 corresponderam a turistas que permaneceram maioritariamente no Algarve, informa o INE.