O ator, realizador, e um dos atores mais importantes do Reino Unido, Richard Attenborough morreu este domingo, disse o seu filho ao canal britânico BBC. Tinha aos 90 anos.

O ator e posteriormente realizador, irmão do famoso antropólogo e apresentador de documentários Sir David Attenborough, protagonizou filmes como “A Grande Evasão”, onde contracenou com Steve McQueen, e, claro, “Parque Jurássico”, onde deu vida a John Hammond, o milionário criador do parque.

É pelo clássico de Steven Spielberg que o mundo mais o recorda, mas a principal marca que deixa no cinema é “Gandhi”, filme que dirigiu e produziu sobre o líder do movimento pela independência da Índia. O trabalho de Attenborough deu frutos: o britânico ganhou dois Óscares da Academia norte-americana (melhor filme e melhor realizador), na gala de 1983. Ao todo, o filme recebeu oito estatuetas douradas, entre as quais a de melhor ator para Ben Kingsley, que interpretou Mahatma Gandhi.

Um dos Globos de Ouro que ganhou foi o de melhor ator secundário pelo papel em “O Extravagante Dr. Dolittle”, de 1967. Em “casa” venceu quatro prémios Bafta, o último em 1994 pelo filme “Dois Estranhos, Um Destino”, protagonizado por  Anthony Hopkins e que Richard Attenborough realizou.

Em 2008, o britânico sofreu uma queda aparatosa numas escadas e desde então estava numa cadeira de rodas. Com a carreira terminada nessa altura, mesmo assim Richard Attenborough somou mais de 70 anos de uma carreira que começou em 1942, com um pequeno papel no filme “Sangue, Suor e Lágrimas”.

“Não tenho interesse em ser recordado como um grande cineasta criativo. Quero ser lembrado como contador de histórias”, disse ao New York Times em 1982. O mundo recorda-o como “um dos grandes do cinema”, como escreveu o primeiro ministro britânico, David Cameron, numa homenagem no Twitter.