Não será fácil. Para ninguém. Os três grandes foram esta quinta-feira ao Mónaco e ficaram a saber os adversários que cada um vai defrontar na fase de grupos da Liga dos Campeões. E cada um calhou com uma equipa governada por um milionário a canalizar euros para o futebol — o Benfica jogará com o Zenit São Petersburgo, o AS Monaco e o Bayer Leverkusen, enquanto o FC Porto vai partilhar relvados com o Athletic Bilbao, o Shakthar Donetsk e o BATE Borisov. Já o Sporting, regressado a estas andanças (após cinco anos de ausência), terá de enfrentar o Chelsea, o Schalke 04 e o Maribor.

E que regresso. Em 2009, os leões, então ainda domados por Paulo Bento, chegaram aos oitavos de final da Champions, onde caíram diante do Bayern de Munique, e só esta época conseguiram voltar a alcançar a fase de grupos da competição. E quem lhes dará as boas-vindas? Entre eles, o Chelsea, de José Mourinho.

Eis o tubarão do Grupo G, onde está o Sporting. A equipa londrina, terceira classificada da última Premier League e semifinalista da Liga dos Campeões, gastou perto de 93 milhões de euros em compras este verão para reforçar o plantel treinador pelo português. Cèsc Fabregas, Diego Costa, Didier Drogba e Filipe Luís chegaram para fazerem companhia a Eden Hazard, Oscar e Nemanja Matic, exemplos de craques que já andavam por Londres.

Antes ou depois, não há novidades — desde que Roman Abramovich, magnata russo, tomou conta do clube, em 2003, que o Chelsea tem a mira posta na conquista da competição. Algo que conseguiu fazer, em 2011. Mas que o Schalke 04 nunca logrou. Os alemães ficaram em terceiro lugar na Bundesliga e, mesmo tendo perdido, para já, quatro dos cincos jogos que já realizaram esta temporada, têm em Klaas-Jan Huntelaar, Jefferson Farfán, Julian Draxler e Max Meyer uma salada que pode saber mal a qualquer adversário. Depois, há o Maribor, equipa eslovena que apenas chegara à fase de grupos da Champions em 1999.

A Luz verá caras conhecidas

Bem mais habituado está o Benfica. Os encarnados ficaram no Grupo C e quis o sorteio que, à 34.ª presença na competição (entre Taças dos Clubes Campeões Europeus e a Liga dos Campeões), a equipa reencontrasse velhos conhecidos. O primeiro é o Bayer Leverkusen, clube germânico que, em 2013, fez de obstáculo para o Benfica saltar em 2013, na caminhada até à final da Liga Europa (0-1 na Alemanha, e 2-1 na Luz).

As caras são praticamente as mesmas, com os acrescentos de Josip Drmic, avançado suíço que até marcou no último Mundial, e o turco Hakan Çalhanoğlu, que já anda com fama de ser craque. E a lição que se retira do Zenit é parecida. O clube de São Petersburgo, que defrontou o Benfica nos oitavos de final da Liga dos Campeões, em 2011/12 — na altura, a eliminatória terminou encarnada, graças às vitórias (3-2) na Rússia e em Lisboa (2-0) –, tem agora Axel Witsel, Ezequiel Garay e Javi Garcia, três homens que já correram pelo Benfica.

Por lá também andam Hulk (ex-FC Porto), Luís Neto (ex-Nacional da Madeira) e os habituais Kerzhakov, Danny ou Arshavin. E depois há o AS Monaco. O renovado, o milionário deste grupo que, nas duas últimas épocas, gastou mais de 200 milhões de euros em contratações, é agora treinado por Leonardo Jardim. Outra cara familiar, portanto — na temporada passada treinou o Sporting e deixou-o com a qualificação assegurada para esta competição.

A equipa gaulesa enfrentará os encarnados com João Moutinho, Ricardo Carvalho e Bernardo Silva, portugueses que partilham treinos e dias com Radamel Falcao, Jérémy Toulalan e Lucas OCampos, nomes que tentam fazer com que o AS Monaco volte a reclamar atenção na Liga dos Campeões. Ainda se lembra quem perdeu a final de 2004, com o FC Porto?

Viagens de longo curso e visita à terra do mister

Sim, já foi há dez anos que os dragões conquistaram a Liga dos Campeões. Agora, à 19.ª participação na fase de grupos da prova (em 23 possíveis, desde 1992), o FC Porto parte à aventura sob o leme de um espanhol. Perdão, de um basco. E Julen Lopetegui, treinador dos portistas, terá oportunidade de regressar à região que o viu nascer e tornar-se guarda-redes antes de começar a dar ordens desde o banco de suplentes.

Os dragões calharam no Grupo H e terão que se preparar para estarem algum tempo dentro de aviões. Chegar a Bilbao não custará muito. O pior será estar lá. Um dos adversários será o Athletic Bilbao, bascos que, na sua fortaleza (estádio) de San Mamés, arrancaram a 3.ª pré-eliminatória do Nápoles, venceram (3-1) os italianos e, 16 anos depois, estão de volta à fase de grupos da Champions.

Mesmo com o plantel restrito a jogadores com ‘basco’ escrito no bilhete de identidade, o Athletic — que, em 2012, impediu o Sporting de chegar à final da Liga Europa –, o clube tem em Iker Munian, Ander Iturraspe, Ibai Gomez e Aritz Aduriz jogadores que podem fazer mal a qualquer um. Já o Shakthar Donetsk, clube dos milhões ucranianos, há anos que abre de rompante as portas a nomes vindos de além-fronteiras. Sobretudo, brasileiros. Douglas Costa, Luiz Adriano, Taison, Ilsinho, Alex Teixeira ou Ismaily (ex-Sporting de Braga) andam por lá, no clube que venceu as ultimas cinco edições do campeonato do país.

Face ao conflito com rebeldes separatistas que assola a região leste da Ucrânia, o Shakthar deverá jogar em Lviv, cidade que dista quase 3500 quilómetros do Porto. Uma viagem longa, portanto. Semelhante (perto de 3700 quilómetros) à que os dragões terão de realizar para chegarem a Borisov, na Bielorrússia, onde está o outro rival do grupo. O BATE é feito em maioria por jogadores bielorrussos (são 21 entre 26) sem fama colada ao nome, mas esta será a sua quarta participação nos últimos seis anos na fase de grupos da Liga dos Campeões.

Tudo arranca a 16 de setembro, uma terça-feira, quando o Benfica, em casa, jogará contra o Zenit São Petersburgo. No dia seguinte, o FC Porto recebe o BATE Borisov e o Sporting vai à Eslovénia defrontar o Maribor. Está quase.

Grupo A

Atlético de Madrid
Juventus
Olympiakos
Malmö

Grupo B

Real Madrid
Basileia
Liverpool
Ludogorets

Grupo C

Benfica
Zenit São Petersburgo
Bayer Leverkusen
AS Monaco

Grupo D

Arsenal
Borussia Dortmund
Galatasaray
Anderlecht

Grupo E

Bayern de Munique
Manchester City
CSKA de Moscovo
AS Roma

Grupo F

Barcelona
Paris Saint-Germain
Ajax
APOEL

Grupo G

Chelsea
Schalke 04
Sporting
Maribor

Grupo H

FC Porto
Shakthar Donetsk
Athletic Bilbao
BATE Borisov