A inflação no Brasil em agosto foi de 0,25%, bem acima da verificada em julho, quando os preços subiram 0,01%, informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo a pesquisa, a alta nos preços foi puxada pela conta da ‘energia elétrica’, que aumentou 1,76%, e pelo segmento de “empregado doméstico”, que registou uma alta de 1,26%.

A maior redução foi registada em ‘despesas pessoais’, puxada pelo item “diárias de hotéis”, cujos preços caíram, em média, 10,13% em agosto frente ao mês anterior, quando ainda decorria o Mundial de Futebol no país.

Outro segmento que sofreu efeito do Mundial foi o de ‘transportes’ (0,33%), puxado pela alta de 10,16% das passagens aéreas, que por sua vez haviam registado uma queda de 26,86% em julho.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No acumulado do ano até agosto, a inflação brasileira chega a 4,02%, enquanto a taxa anualizada, que calcula os últimos 12 meses, atinge 6,51%, ligeiramente acima da margem de controlo do governo.

O governo brasileiro trabalha com uma meta de inflação de 4,5% ao ano, com dois pontos percentuais de margem, para mais ou para menos.

Em 2013, o país terminou o ano com uma inflação de 6,5%.