O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, inicia na tarde de hoje uma visita oficial de 24 horas à Argélia onde vai manter encontros com os principais responsáveis políticos e participar num encontro empresarial.

Na agenda da visita, que se realiza no âmbito das deslocações aos países da margem sul do Mediterrâneo integrados no Diálogo 5+5 — o mecanismo de cooperação do Mediterrâneo ocidental –, destaca-se o encontro na segunda-feira com o seu homólogo argelino Ramtane Lamamra, antes do almoço oferecido à delegação nacional, referiu à Lusa fonte oficial do MNE.

No início da tarde de segunda-feira, e antes do regresso a Lisboa, o chefe da diplomacia reúne-se com o primeiro-ministro argelino, Abdelmalek Sellal, para de seguida ser recebido em audiência pelo Presidente da República argelina, Abdelaziz Bouteflika.

Após as deslocações a Marrocos, em janeiro, e à Tunísia, em junho, Rui Machete completa o ciclo de deslocações aos países magrebinos do norte de África que integram o mecanismo de cooperação, e que ocorreram num período em que Portugal copreside com a Mauritânia ao Diálogo 5+5 até maio de 2015.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O diálogo da União Europeia (UE) com a sua vizinhança Sul, a situação na região, em particular a instabilidade no Sahel/Mali, na Líbia, Iraque e Síria, a questão da imigração e da segurança deverão ser temas obrigatórios nos contactos bilaterais, precisou a fonte oficial.

A possível adesão da Argélia ao Centro Norte-Sul, um mecanismo que que procura fomentar os princípios democráticos e o crescimento socioeconómico dos países do Mediterrâneo e com sede em Lisboa, será outro assunto a debater pelos dois homólogos.

Portugal e a Argélia têm mantido um estreito relacionamento político, também assente nas importantes relações comerciais, culturais e no desenvolvimento de diversos projetos de cooperação.

Neste âmbito, o tema da energia vai merecer particular destaque, também na sequência da crise na Ucrânia, a forte dependência energética do ocidente face à Rússia e as significativas importações por Portugal de combustíveis minerais provenientes da Argélia, em particular o gás natural.

Neste aspeto, Rui Machete tem defendido um efetivo Mercado europeu de energia, reforçando as interligações energéticas, para que nenhum Estado-Membro permaneça isolado das redes europeias de gás e de eletricidade após 2015.

Para Portugal, trata-se de assegurar boas ligações das redes de gás e de eletricidade entre Portugal e Espanha e as restantes redes europeias, para assegurar uma exploração eficaz das redes energéticas portuguesas.

Hoje, e logo após a sua chegada a Argel, o ministro português participa num jantar com representantes institucionais e empresariais argelinos e portugueses a operar naquele mercado.

Leia também: