Na manhã deste domingo, 30 pessoas foram encontradas em paragem cardiorrespiratória junto ao pico do vulcão japonês que entrou em atividade no dia anterior. As forças policiais recusaram-se a confirmar o óbito antes da chegada dos médicos legistas, mas as vítimas não apresentavam sinais vitais no momento em que foram encontradas. A erupção causou ainda a morte confirmada de uma mulher, pelo menos 40 feridos graves e 45 desaparecidos.

O vulcão Monte Ontake, localizado a cerca de 200 quilómetros a oeste de Tóquio, entrou em erupção este sábado por volta do meio-dia (3:00 em Lisboa) de forma inesperada. “Não havia sinais de uma erupção iminente como movimentos da Terra ou da superfície da montanha”, disse à Reuters um responsável da Agência Meteorológica Japonesa, apesar de se registarem pequenos sismos desde o dia 10 de setembro. “Não conseguíamos dizer só pelos sismos que iria haver uma erupção.”

Quando o céu limpo no topo da montanha foi substituído por uma nuvem negra de fumo, muitos caminhantes começaram a descer a encosta. “A cinza acumulou-se tão rapidamente que nem conseguíamos abrir a porta”, disse à Reuters Shuichi Mukai, empregado num estabelecimento hoteleiro abaixo do pico da montanha que acolheu cerca de 150 pessoas em fuga. Na manhã de domingo a erupção mantinha-se com libertação de cinza e fumo. As cinzas dispersaram-se ao longo de 80 quilómetros.

Mais de 500 agentes das forças militares e policias participam em operações de busca e salvamento, mas, até ao momento, as autoridades japonesas ainda não conseguiram confirmar quantas pessoas estariam na encosta do vulcão, um local muito popular entre montanhistas. Durante o dia de sábado, cerca de 230 conseguiram regressar da montanha, noticiava o canal de televisão japonês NHK.

O aeroporto de Haneda em Tóquio informou que os voos domésticos sofreram atrasos de 40 a 50 minutos para evitar passar por cima do vulcão, mas os voos internacionais não foram afetados. No final do dia, o horário dos voos tinha retomado a normalidade.

O Monte Ontake, com 3.067 metros, é o segundo maior vulcão do Japão, a seguir ao Monte Fuji, com 3.776 metros, e está localizado entre as localidades de Gifu e Nagano. Em 1979 expeliu cerca de 200 mil toneladas de cinzas e a última erupção aconteceu em 2007.