São conhecidos inimigos do mundo do futebol e desta vez não se ficaram pelos habituais confrontos indiretos na imprensa. O jogo deste domingo em Stamford Bridge, entre o Chelsea de José Mourinho e o Arsenal de Arsène Wenger, ficou marcado por um confronto físico entre os treinadores: Wenger empurrou o técnico português quando protestava junto ao quarto árbitro. O jogo ainda ia na primeira parte e os golos ainda estavam por chegar, mas foi sem dúvida o lance da partida.

Os ânimos aqueceram depois de Gary Cahill ter feito uma entrada dura sobre Alexis Sánchez. O treinador do Arsenal não gostou e foi para o local do lance, passando pela área técnica do Chelsea, onde estava José Mourinho, que foi empurrado pelo peito. O português ainda reagiu, irritado, mas o quarto árbitro meteu-se rapidamente entre os dois treinadores.

https://www.youtube.com/watch?v=f4-tWYWF8wQ

Em declarações à imprensa depois do jogo, Arsène Wenger não se mostrou arrependido. “Não estou arrependido do empurrão. Tenho de estar arrependido do quê? Queria ir do ponto A para o B e alguém surgiu no meu caminho e confrontou-me antes de chegar ao ponto B. Queria ver qual era a gravidade da lesão de Alexis Sànchez“, disse. Já Mourinho disse que, desta vez, não fez nada. “Já fiz muitas coisas erradas no futebol, e muitas delas devido à emoção, mas não desta vez. Desta vez eu estava apenas na minha área técnica e não era problema meu. Fim da história”, disse o treinador português.

O incidente mediático chegou rapidamente às redes sociais, onde surgiu uma panóplia de comparações humorísticas com outras imagens e outros empurrões.

A partida em Stamford Bridge viria a terminar com a vitória do Chelsea por 2-0, com golos de Eden Hazard (27′) e Diego Costa (78′).