O Governo da região da Catalunha decidiu manter o processo participativo marcado para o dia 9 de novembro, apesar de o Tribunal Constitucional ter anunciado esta terça-feira a suspensão dessa consulta, escreve o El País. Artur Mas anunciou ainda que vai processar o Governo central por “violação dos direitos fundamentais” dos catalães, segundo o mesmo jornal.

“Vamos manter o processo participativo. É mais claro do que a água. E vamos fazê-lo com todas as consequências que isso acarretar”, disse Francesc Homs, porta-voz do Governo catalão, citado pelo El País.

O Tribunal Constitucional espanhol suspendeu esta terça-feira o processo de participação cidadã que tinha sido convocado por Artur Mas como alternativa ao referendo à independência da Catalunha, no dia 9 de novembro.

O Governo de Rajoy tinha pedido a suspensão daquele que considerou um “referendo encoberto”, pedindo também aos magistrados para advertirem Artur Mas, presidente da Generalitat, sobre as consequências possíveis de violações à decisão judicial, o que seria inédito. Mas o Tribunal Constitucional não incluiu estes avisos no documento final, de acordo com o jornal espanhol.

Homs não avançou, no entanto, como decorrerá a consulta no próximo domingo, dizendo apenas que está tudo preparado. O porta-voz do Executivo catalão deixou ainda claro que os funcionários que trabalharão como voluntários no dia 9 de novembro não devem temer nenhuma penalização. “Ninguém tem de sofrer”, garantiu.