É assim desde 1976. Espinho volta a animar-se a partir de segunda-feira, com o início da 38.ª edição do Festival Internacional de Cinema de Animação. Até 16 de novembro há 250 fimes para ver, entre longas e curtas-metragens, sempre com a animação em destaque.

Curiosidade: o Cinanima vai ter, não uma, mas duas sessões de abertura, ambas a 10 de novembro, no Centro Multimeios de Espinho e com a presença dos realizadores dos dois filmes. A sessão especial de abertura acontece às 18h00 com a exibição da longa-metragem “O menino que queria ser urso“, do realizador dinamarquês Jannik Hastrup. Datado de 2002, o filme conta a história de uma ursa polar que dá à luz uma cria nado morto, ao mesmo tempo que, num outro quarto, uma mulher dá à luz um menino forte e saudável.

Às 21h30 tem lugar a sessão oficial de abertura, com o documentário animado do francês Jérémie Malavoy, “O soldado desconhecido“. Com 56 minutos de duração, passa-se na manhã de 11 de novembro de 1918, dia em que os Aliados e as Forças militares alemãs declararam paz, pondo fim à Primeira Guerra Mundial. Uma vez que em 2014 se assinala o centenário da Primeira Grande Guerra, este será muito presente na programação. Mas a Bretanha também vai ter um destaque especial.

https://www.youtube.com/watch?v=MtX-8UYeK8M

Em julho, o Cinanima anunciou “um recorde absoluto” de inscrições, com 1300 obras, das quais foram selecionadas para concurso 88 películas. 21 são estreias mundiais e 46 nacionais. Na competição internacional estarão a concurso 60 curtas-metragens e quatro longas-metragens, de nomes como Priit e Olga Parn, Roberto Catani e Konstantin Bronzit. A competição nacional será representada por 28 filmes, dos quais 11 são candidatos ao Prémio António Gaio e 17 ao Prémio Jovem Cineasta Português.

Sessões para crianças, oficinas e masterclasses também fazem parte do programa, que vai passar também pelo Casino de Espinho, pelo Fórum de Arte e Cultura de Espinho e pela Biblioteca Municipal José Marmelo e Silva. Os bilhetes para as sessões custam entre 1,50 e 3,50 euros, mas há várias sessões gratuitas.