A empresa chinesa Fosun está interessada em comprar o Novo Banco, noticiou esta quarta-feira a TVI. Segundo a estação de televisão, os chineses estarão dispostos a pagar até 3.500 milhões de euros pela instituição bancária, que nasceu depois da separação do Banco Espírito Santo em dois.

A Fosun já terá feito mesmo uma aproximação informal à administração do Novo Banco, liderado agora por Eduardo Stock da Cunha. O Governo já está a par desta proposta, refere a TVI, que lembra que o valor que os chineses estão dispostos a gastar fica 1.400 milhões de euros abaixo do montante investido pelo Fundo de Resolução no Novo Banco (4.900 milhões de euros).

A 25 de novembro, o presidente do Fundo de Resolução afirmou que pretendia vender o Novo Banco como um todo e não em partes. “O que queremos é vender o capital social do Novo Banco e não desmantelá-lo”, disse José Berberan Ramalho.

A Fosun comprou recentemente a Espírito Santo Saúde. Já era dona da seguradora Fidelidade, que anteriormente pertencia à Caixa Geral de Depósitos.