Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um grupo ligado à Al-Qaeda atacou esta quinta-feira uma base militar da missão da União Africana em Mogadíscio, na Somália, quando decorria uma festa de natal. Os ataques, que incluíram bombistas suicidas, terminaram com pelo menos cinco militantes mortos. Três soldados da União Africana e um civil ficaram feridos.

O ataque dos rebeldes Al-Shabaab, um grupo ligado à Al-Qaeda, foi feito à base de Halane, na capital da Somália, e que é a maior base das tropas da União Africana no país.

Segundo o porta-voz da missão, dois dos militantes detonaram bombas que traziam ao peito já dentro da base e outros três foram mortos pelos militares já durante o ataque. A situação, garantiu através do twitter, está sob controlo e a base já é novamente segura.

Um porta-voz do grupo terrorista descreveu o ataque à base em declarações à Radio Andalus, que é apoiante dos Al-Shabaab, dizendo que os militantes detonaram um carro armadilhado na entrada e que conseguiram entrar na base.

Os Al-Shabaab têm feito ataques por toda a Somália, com a esperança de implementar a lei islâmica.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR