A TAP transportou 11,4 milhões de passageiros em 2014, um crescimento de 6,6% face ao ano anterior, o que representa um acréscimo de 710 mil passageiros, anunciou nesta terça-feira a companhia aérea. Em comunicado, a TAP informou que ultrapassou, pela primeira vez, os 11 milhões de passageiros, superando assim a média de 4,5% de crescimento do tráfego das companhias da Association of European Airlines (AEA).

Segundo a companhia liderada por Fernando Pinto, o aumento de passageiros “poderia ter sido ainda mais expressivo”, uma vez que até outubro o tráfego registava “um crescimento médio consistente de 8%”, considerando que “as perturbações laborais” contribuíram “negativamente para a média de crescimento anual”.

Em outubro e novembro, os tripulantes do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) paralisaram praticamente a operação da TAP durante quatro dias para reclamarem o respeito pelo Acordo de Empresa. Já em dezembro, os aviões da Portugália ficaram dois dias em terra devido à greve dos tripulantes de cabine, insatisfeitos com as “permanentes violações” às regras laborais estabelecidas no clausulado do Acordo de Empresa.

Em dezembro, três sindicatos avançaram com quatro dias de greve, sem impactos na operação devido à requisição civil decidida pelo Governo, na sequência do pré-aviso de 12 estruturas sindicais representativas dos trabalhadores (das quais nove acabaram por desconvocar a greve). A TAP teve uma taxa média de ocupação dos seus aviões (‘load factor’) de 80,1%, o que traduz um aumento de 1,1 pontos percentuais em relação a 2013.