O Governo grego vai avançar com a privatização do porto de Pireu, o maior do país, recuando numa das primeiras medidas anunciadas logo na primeira semana após o Alexis Tsipras tomar posse como primeiro-ministro. Segundo o The Wall Street Journal, esta decisão será anunciada pelo ministro das Finanças, Yanis Varoufakis, na reunião extraordinária do Eurogrupo de quarta-feira, dia 11 de fevereiro. Os chineses da Cosco são os favoritos à compra da participação maioritária (67%) no porto.

A venda do Pireu está viva. Vai continuar como planeado“, disse ao The Wall Street Journal uma fonte do Ministério das Finanças da Grécia. A venda da participação de 67% que o Estado tem no porto é um dos processos de privatização mais relevantes do plano acordado com a troika no âmbito do segundo resgate à Grécia, em 2012.

Segundo o jornal, fontes próximas do processo dizem que a venda poderá render até 800 milhões de euros e, nos termos do processo de venda que decorria – e que está novamente ativo, segundo a notícia –, esperam-se propostas vinculativas até final de março.

Há escassas semanas, o novo ministro responsável pela marinha mercante, Theodore Dritsas, disse que a venda seria cancelada, para respeitar a promessa eleitoral de interromper a venda de “ativos estratégicos” do Estado.