Um ciberataque atingiu mais de 100 bancos em 30 países, roubando centenas de milhões de dólares, noticiou hoje a edição digital do jornal The New York Times, que cita um relatório de uma empresa de segurança informática.

Segundo a notícia, o ataque envolveu “software” malicioso, que permitiu aos piratas informáticos terem acesso, durante muito tempo, aos sistemas bancários.

Os “hackers” focaram-se, sobretudo, em bancos da Rússia, mas milhões de dólares foram também tirados de bancos do Japão, da Holanda, da Suíça e dos Estados Unidos, de acordo com um relatório da empresa russa Kaspersky Lab.

O documento, citado pelo The New York Times, menciona que pelo menos 300 milhões de dólares (263 milhões de euros) foram roubados de clientes, mas admite que o montante possa ser o triplo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A rede de piratas informáticos, que inclui russos e chineses, conseguia forçar as máquinas multibanco a dispensarem dinheiro a horas específicas e em locais onde podia recolhê-lo ou transferia o dinheiro para contas bancárias em várias partes do mundo, em pequenas quantias para afastar qualquer suspeita.

O jornal nova-iorquino adianta que a Kaspersky Lab não indica os nomes dos bancos afetados devido aos acordos de confidencialidade de informação.