Vários membros da Câmara dos Representantes, de ambos os partidos, apelaram ao presidente norte-americano Barack Obama para seja rapidamente aprovada a medida de envio de armas letais para a Ucrânia, refere a Reuters.

Numa carta publicada na quinta-feira, assinada por oito Republicanos e três Democratas, é pedido que sejam autorizados “esforços adicionais para apoiar a Ucrânia” na luta contra os separatistas pró-russos, no leste do país. O pedido surgiu na sequência de uma reunião entre John Boehner, presidente da Câmara dos Representantes, e outros membros do Congresso com legisladores ucranianos na semana passada.

“Pedimos que sejam rapidamente aprovados esforços adicionais para apoiar a Ucrânia na defesa do seu território, que incluem a transferência de armas letais e defensivas para o exército ucraniano”, pode ler-se no texto, datado de quarta-feira.

Perante o que consideram ser um aumento da agressão por parte da Rússia, os legisladores norte-americanos acreditam que é preciso fornecer aos ucranianos os meios para combaterem a ameaça russa. Os legisladores têm vindo a mostrar o seu descontentamento em relação à administração de Obama, por considerarem que esta se tem mostrado relutante em fornecer armas à Ucrânia.

“Perante a agressão da Rússia, a falta de clareza da nossa estratégia geral pouco tem feito para tranquilizar os nossos amigos e aliados na região que, compreensivelmente, se sentem vulneráveis. Isto precisa de mudar”, refere uma carta escrita pelos legisladores, de acordo com a Reuters.

Os oficiais norte-americanos mostraram-se preocupados com o possível aumento da violência na Ucrânia, temendo que os EUA acabem presos a uma guerra com a Rússia. Por outro lado, a Câmara dos Comuns e o Senado votaram unanimemente a aprovação de uma lei que autoriza Obama a enviar armas para Kiev, mas o envio ainda não foi decidido.

Numa entrevista ao Wall Street Journal, também David Cameron disse que estão a ser preparadas novas sanções contra a Rússia, caso o conflito na Ucrânia se intensifique. De acordo com o primeiro-ministro britânico, é preciso encontrar uma solução a longo termo e eficaz.

Na mesma entrevista, o primeiro-ministro afirmou ainda que Moscovo “destruiu” o “livro das regras” e que não pode esperar que seja possível continuar a ter acesso aos mercados internacionais. Para Cameron, os países ocidentais devem estar preparados para “estabelecer uma posição determinada” e devem punir novas incursões à Ucrânia.

“A Rússia vai destruir o livro das regras do século XX e destabilizar um país soberano. Por isso, o resto do mundo deve estar preparado para dizer à Rússia ‘não podes rasgar uma parte do livro das regras internacional e continuar a ter acesso aos mercados internacionais, às finanças internacionais, ao sistema internacional”.