O nome já deixa antever o público a que se destina: o Camden in a Box, que ganha vida pela primeira vez este sábado, 14 de março, na Caixa Económica Operária, em Lisboa, é para gostos alternativos. Focando-se nas sub-culturas, o mercado “junta um pouco de tudo”, do punk ao gótico, passando pelo metal, como diz Carlos Ferreira, frequentador assíduo da Feira das Almas e o homem por trás da ideia. E se “Camden” remete para o conhecido mercado londrino, a parte do “in a box” também tem explicação (e não passa por ter tudo arrumado em caixotes): “todos os eventos que acontecem na Caixa Operária têm Caixa no nome”.

Vão ser mais de 20 bancas, algumas com dois projetos, que vão vender roupa, acessórios, livros, filmes e música — em segunda mão ou novos. A variedade promete ser grande e vai do ilustrador Nicolae Negura à Livraria da Lapa, passando pela loja vintage Ás de Espadas, a Dark Doll ou até a uma banca com roupa de criadores portugueses em segunda mão, onde poderá encontrar peças dos Storytailors. Carlos Ferreira convidou pessoalmente alguns dos vendedores por conhecê-los e apreciar o seu trabalho, outros ganharam na luta das inscrições.

Os preços variam, mas a partir dos dois euros já poderá levar qualquer coisa consigo — quem está habituado a estas andanças dos flea markets sabe que é preciso ter olho para a coisa. A entrada é livre e para que possa recarregar baterias, o bar da Caixa Operária estará a vender comida e bebidas.

Para os fãs da Feira das Almas, que acontece uma vez por mês no Regueirão dos Anjos, em Lisboa, Carlos faz uma ressalva: o Camden in a Box “é menos generalista”. O que não significa que não esteja aberto a toda a gente que queira, nem que seja por mera curiosidade, entrar em contacto com outros estilos ou conhecer o conceito do mercado.

Como esta é a estreia, só vai ter um dia para encontrar os chamados “achados”, entre as 11h00 e as 19h00. No entanto, se tudo correr bem e “se as pessoas e os vendedores gostarem e quiserem voltar”, pode ser que haja mais Camden na Graça daqui a dois meses.