Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Na cabeça ficou frio, no bolso só ficou espaço. Aconteceu com o chapéu, depois também com os lenços no casaco: o vestuário masculino perdeu acessórios, mas André Marinho não quis fazer uma despedida com panos ao vento e um Fedora ao peito. Apenas com 21 anos, lançou uma marca, a Lobo Marinho, que quer trazer os quadrados de 25 centímetros de volta às lapelas dos homens. “Para além de serem usados no bolso do blazer, que é o mais óbvio, podem ser colocados também num colete ou até numa camisa”, diz o estudante de design. “A minha intenção com este revivalismo é desprender o hábito do uso do lenço de um contexto formal, de que ainda é sinónimo, para passar a ser usado num outfit casual, no dia-a-dia, com um casaco desportivo, jeans e uns ténis Stan Smith, por exemplo.”

Os nomes dos modelos e os padrões de cada tecido ajudam no tom moderno e descontraído: o lenço com flores amarelas e vermelhas é o Mr. Clown, o verde é o Mr. Veggie, o de corações é o Mr. Strangelove e o às riscas amarelas responde por Sushine. Todos senhores, como os que habitam o bairro literário de Gonçalo M. Tavares, mas senhores lenços.

4 fotos

André escolhe os tecidos com os padrões já feitos, e é a avó, Nilza, que os transforma em acessórios com quadrados na máquina de costura, no Porto. “Ando sempre à procura de padrões que tenham uma componente ilustrativa mais alternativa mas ao mesmo tempo sóbria, fugindo sempre ao clássico das cornucópias”, diz André.

Temporariamente a viver no Chile, o aspirante a designer valoriza o lado manual de cada peça por razões práticas mas também simbólicas: “Optei pelos lenços de bolso como primeiro produto porque queria fazer acessórios de moda para homem. Como não queria ter uma produção à escala industrial, encaminhei-me para o trabalho artesanal de forma a ter algo mais exclusivo e com mais valor simbólico.”

E se no site da marca há uma área dedicada ao design de produto com um banco e um porta-revistas que por enquanto ainda só existem no portfólio académico de André, prestes a concretizar-se está uma colaboração muito concreta: uma edição limitada de lenços feita em parceria com a revista Monocle. “O lançamento está previsto para maio e os lenços vão estar à venda na loja online e também em Londres, Tóquio, Hong Kong e Toronto”, diz André.

Qual amigo de longa data, o monóculo pode muito bem ser o acessório que vai colocar os lenços Lobo Marinho na rota internacional.

Nome: Lobo Marinho
Data: 2014
Pontos de venda: J.Lisbon e várias lojas no Porto: Museu de Serralves, CUSQ e Almada 13.
Preço: 30€

100% português é uma rubrica dedicada a marcas nacionais que achamos que tem de conhecer.