A Presidente do Chile, Michelle Bachelet, decretou esta quinta-feira o estado de exceção por catástrofe na província de Llanquihue e no município de Puerto Octay, após a erupção na quarta-feira do vulcão Calbuco, situado a mil quilómetros a sul de Santiago.

A decisão significa que as forças armadas e de segurança são destacadas para o terreno e tomam o controlo da situação, além de colaborarem na retirada de pessoas de uma área correspondente a um raio de 20 quilómetros em torno do vulcão, considerada “zona de exclusão imediata”.

Nesse sentido, o governo ordenou esta noite o recolher obrigatório, entre as 23:45 e as 05:00 locais, no sul do país, em Puerto Montt, Puerto Varas e Puerto Octay.

A medida foi tomada para evitar roubos nas centenas de casas que ficaram vazias ao ser decretada a retirada dos habitantes e as pilhagens em supermercados ou estações de gasolina.

As autoridades também decretaram a suspensão das aulas até novo aviso.

Após 43 anos de inatividade, o vulcão chileno Calbuco entrou em erupção na quarta-feira, lançando uma gigantesca coluna de fumo para o ar, próximo da cidade portuária de Puerto Montt, e levando as autoridades a emitir um alerta vermelho.

Esta é a segunda erupção vulcânica substancial no sul do Chile, depois da emissão breve mas forte de cinza e lava, a 3 de março, pelo vulcão Villarrica.