Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Quatro anos de casamento transformaram Kate Middleton. A afirmação é da responsabilidade do britânico Daily Mail e vem mesmo a calhar. Foi a 29 de abril de 2011 que Kate subiu ao altar num vestido de Alexander McQueen para trocar votos com William. A cerimónia teve lugar na Westminster Abbey, em Londres, perante cerca de 2 mil convidados e 24 milhões de telespetadores (só no Reino Unido). Esta quarta-feira, o casal pode estar duplamente de parabéns, caso o segundo bebé real decida aparecer.

A data marca também o momento em que Kate deixou definitivamente de ser uma cidadã anónima para agora interpretar o papel de Duquesa de Cambridge. A sua vida transformou-se num rol de compromissos e numa batalha constante por uma rotina mais normal — um desafio difícil se se considerar o peso que a casa real britânica tem na imprensa daquele país (para não dizer na imprensa internacional).

Por esse motivo, esta quarta-feira recorda-se a evolução de Kate Middleton, quase a mil anos-luz da altura em que se realizou o primeiro encontro oficial com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e a primeira dama, logo após o casamento real. Nessa ocasião, Kate foi vista (e fotografada) visivelmente nervosa, a mexer no cabelo e algo surpreendida com tantos olhos postos em cima dela. Mas isso é coisa do passado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A duquesa teve tempo de treinar e, atualmente, as aparições em público são de uma elegância tal que cada peça de roupa que use é rapidamente escoada no mercado, com as leis da procura e da oferta a manifestarem um claro desequilíbrio — há quem lhe chame “o efeito de Kate” (“Kate effect”, em inglês). Tanto carinho do público poderia deixar o seu marido desconfortável, mas depressa ficou claro que a história dos príncipes Carlos e Diana — em que ele ficou descontente com o protagonismo dela — não teria um segundo take.

O mesmo se pode dizer ao nível da privacidade, com William a garantir que Kate não sofreria uma perseguição mediática idêntica à de sua mãe. Ainda assim, e apesar das boas intenções, fotografias menos próprias de Kate arranjaram maneira de chegar à imprensa, como aquela datada do verão de 2012 que mostra a duquesa a fazer topless. Outra situação do género aconteceu quando, à saída do avião na Nova Zelândia, em abril do ano passado, uma rajada de vento levantou o vestido de Kate e, muito a jeito, um fotógrafo tirou partido da ocasião.

Mas os incidentes não são nada comparados com aqueles protagonizados pelos pais de William e de Harry, até porque parece ser consensual que Kate está a fazer bom trabalho e a assumir um papel cada vez mais relevante dentro da família real britânica. A isto tudo junta-se o nascimento do príncipe George Alexander Louis of Cambridge, em julho de 2013. Agora, novamente grávida, o mundo está ainda mais focado em Kate, à espera de ver nascer o segundo bebé real que teima em não chegar.