Edson Arantes do Nascimento, ou Pelé, como o futebol e o mundo o conhecem, regressou ao hospital. Mas, até ver, nada de grave se passa com o brasileiro que venceu três Campeonatos do Mundo de futebol.

O antigo jogador foi na quarta-feira submetido a uma intervenção cirúrgica no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. A operação, escreve esta quinta-feira o Folha de São Paulo, terá incidido sobre uma hiperplasia na próstata, ou seja, um aumento benigno no volume desta glândula. Em novembro, Pelé, de 74 anos, fora já alvo de uma cirurgia para tratar uma infeção urinária.

O mesmo jornal adianta que o ex-internacional brasileiro se tinha deslocado ao hospital, na quarta-feira, para realizar exames de rotina. Foi aí que se terá detetado o problema na próstata. E pouco mais se sabe acerca do antigo futebolista — o boletim clínico que o site do hospital dedica a Pelé não é atualizado desde 9 de dezembro, dia em que o brasileiro recebeu alta da primeira cirurgia.

Enquanto jogador, Pelé conquistou os Mundiais de 1958, 1962 e 1970 com a seleção canarinho. Representou apenas dois clubes: o Santos, no Brasil, no qual permaneceu durante 19 épocas (1956-1974), e o New York Cosmos, nos EUA, onde cumpriu as últimas três temporadas da carreira (1975-1977) e coincidiu com o alemão Franz Beckenbauer, o italiano Giorghio Chinaglia e o também brasileiro Carlos Alberto Torres. Ainda hoje Pelé detém o recorde de mais golos marcados pela seleção: foram 77 em 92 jogos.