País

Águeda desvia o rio para acabar com as cheias na cidade

A abertura de um canal para que o rio contorne a cidade pode resolver o problema dos comerciantes da baixa da cidade.

ESTELA SILVA/LUSA

Gil Nadais, o presidente da Câmara de Águeda, acredita ter mudado o destino dos comerciantes da Baixa, que anualmente sofrem prejuízos com as inundações, ao abrir um canal para o rio contornar a cidade.

A obra, de cerca de 1,7 milhões de euros, esteve parada devido a problemas com o empreiteiro, mas foi agora retomada e prossegue a ritmo acelerado, para não perder a comparticipação dos fundos comunitários e ficar concluída antes do próximo inverno.

“Espero que o próximo inverno seja muito mais sossegado do que o anterior. Foi muito complicado, até porque tivemos obras na ponte velha, o que dificultou imenso o escoamento da água. Espero que ele possa ser referido como o último ano de cheias em Águeda”, disse à Lusa Gil Nadais.

Os caprichos da Natureza e a imprudência dos homens têm alagado anualmente a Baixa da cidade, com a água das chuvas que escorre das encostas do Caramulo a não encontrar vazão no leito natural do rio, parcialmente aterrado com pontes e acessos que foram sendo construídos.

Se as fortes chuvas coincidem com marés vivas na Barra, o mar não dá saída às enxurradas que refluem e Águeda vive momentos de pânico. A água chegou às varandas das casas de primeiro andar em 2001 e mobilizou a atenção mediática quando Manuel Alegre ficou retido na sua casa de Águeda.

O assunto passou da abertura de noticiários às notícias breves e a azáfama ministerial desvaneceu-se em estudos e projetos. Pouco se fez de então para cá, com Águeda a alagar-se ciclicamente.

Gil Nadais, então um jovem autarca socialista, depressa percebeu que fosse qual fosse o governo era Águeda que tinha de avançar para se proteger e a autarquia avançou para um conjunto de obras hidráulicas: duas pontes para substituir taludes e um novo percurso para o rio contornar a cidade, num investimento total de 2,6 milhões de euros.

“Era urgente dar resposta a este problema e uma das intervenções é este canal, que vai possibilitar que a água flua mais facilmente durante os invernos. O conjunto compreende mais duas pontes, uma das quais já está em construção em Óis da Ribeira, para retirar os aterros que impediam o curso do rio”, explica.

Com o canal artificial, que tem 22 metros de largura em cerca de 800 metros de extensão, o rio passa a ter dois percursos, com duas alternativas para escoar a água: uma é o leito normal e a outra é o canal que está a ser aberto, onde há muitos anos passava o “rio velho”.

“Águeda costuma ter dois problemas, um no verão e outro no inverno. No verão temos os incêndios, de inverno as cheias. Estou convencido que com este canal e as duas pontes deixaremos de ter as cheias que tanto incomodam as pessoas aqui na baixa de Águeda. É natural que o rio venha na mesma a galgar as margens e a inundar as várzeas, mas deixará de ser um problema na área urbana, com as dimensões que tem sido”, conclui.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)