Um francês foi condenado à morte na Indonésia por crimes relacionados com droga e esta segunda-feira viu a pena ser reconfirmada por um tribunal indonésio. Os advogados de defesa ponderam novos procedimentos.

“Rejeitamos o recurso do requerente”, disse o juiz presidente Ujang Abdullah no Tribunal Administrativo estatal, em Jacarta, sobre o recurso apresentado por Serge Atlaoui.

O advogado do homem de 51 anos contestou a recusa de clemência do Presidente indonésio, Joko Widodo, argumentando que o chefe de Estado não tinha analisado de forma apropriada o caso de Atlaoui.

O francês deveria ter sido executado há dois meses com os outros sete estrangeiros, incluindo um brasileiros, também condenados por crimes de droga, mas conseguiu um adiamento temporário na sequência de pressão por parte de Paris, com as autoridades a permitirem que o recurso fosse apresentado.

A execução, em abril, de um brasileiro, dois australianos e quatro nigerianos gerou uma onda de indignação global, mas Widodo mantém a sua política de que os traficantes de droga devem ser duramente punidos, argumentando que a Indonésia enfrenta uma crise profunda devido ao consumo de droga.