A rainha pode mesmo ter de sair do Palácio de Buckingham por um período de tempo. A residência precisa de sérios trabalhos de manutenção, já avaliados em 210 milhões de euros.

O edifício datado do século XVIII necessita de novos sistemas de canalização e de eletricidade, e o amianto tem de ser removido na totalidade. Como se isso não bastasse, há quartos que não são decorados desde 1952 — ano em que Isabel II, hoje com 89 anos, ascendeu ao trono.

A notícia da remodelação surge numa altura em que foram reveladas as últimas contas da família real, tendo em conta o passado ano fiscal (2014/2015). Estas mostram que a manutenção da monarquia teve um custo de 50 milhões de euros, valor que saiu dos bolsos dos contribuintes britânicos (a mesma quantia foi registada no ano anterior).

Caso Isabel II tenha de deixar aquela que é a morada da família real britânica desde 1837 (assim designada pela rainha Victoria), a alternativa mais provável poderá ser o castelo de Windsor, a residência de fim de semana.

Atualmente, a rainha — que em setembro será a monarca no trono há mais tempo, depois dos 64 anos de regência da rainha Victoria — ocupa um apartamento composto por nove salas, sendo que o palácio tem, ao todo, 775 divisões (para não falar de 426 empregados).