A polícia tunisina deteve oito pessoas, incluindo uma mulher, “diretamente implicadas na execução” do atentado que causou 38 mortos na passada semana num hotel da Tunísia, anunciou o ministro Kamel Jendoubi.

“Oito pessoas diretamente implicadas na execução do atentado, incluindo uma mulher, foram detidas”, afirmou o ministro encarregado das relações do executivo com a sociedade civil, na primeira conferência de imprensa sobre o inquérito ao atentado.

“Toda a rede responsável pela operação foi descoberta”, acrescentou, sem especificar se seriam feitas mais detenções.

O ataque de setxa-feira, perpetrado por Seifeddin Rezgui, um estudante de 23 anos, em Port El Kantaoui, a sul de Tunes, foi reivindicado pelo movimento terrorista “Estado Islâmico”, que controla várias zonas da Síria e Iraque.

Trinta turistas britânicos morreram no atentado mais sangrento da história da Tunísia.

“No âmbito da cooperação na área da segurança entre a Tunísia e o Reino Unido, dez investigadores britânicos estão a trabalhar no inquérito”, disse Jendubi.

Na sequência do atentado, o governo tunisino prometeu aumentar a segurança em hotéis, praias e atrações turísticas.

“Destacámos 1.377 agentes de segurança armados em hotéis e nas praias”, acrescentou Jendoubi.