Hoje, as fachadas da universidade no Pátio das Escolas, envolvendo a Via Latina, a Faculdade de Direito, Biblioteca Joanina e a torre A Cabra, são palco de um espetáculo de ‘video mapping’ de 20 minutos sobre os 725 anos da instituição, em que se aborda a ligação entre a história de Portugal e da UC.

As paredes do espaço classificado Património Mundial há dois anos transformam-se numa espécie de tela, onde são projetadas imagens associadas à universidade e à sua história, com tempo para se fazer uma ode ao conhecimento, conta Nuno Maya, diretor artístico do ateliê OCUBO, responsável pelo espetáculo.

Conduzido por dois estudantes trajados (filmados em estúdio), o público pode ver o interior da Biblioteca Joanina espelhado na fachada da UC, viajar no tempo e recordar os Descobrimentos e a crise académica de 1969, encontrar alusões à zoologia, química, física ou anatomia, ou ler nas paredes frases de Eça de Queirós, Zeca Afonso e Miguel Torga, todos estudantes da universidade.

O processo de criação demorou seis meses e envolveu mais de 30 pessoas, tendo sido realizada pesquisa histórica, registo fotográfico de diversos espaços da Universidade de Coimbra e o mapeamento, com medidas tiradas a laser, de uma fachada algo singular em que se encontra a Biblioteca Joanina, de estilo barroco, “um portal manuelino e uma fachada pombalina”, sublinhou Nuno Maya.

Durante o espetáculo, há também tempo para se escutar o órgão da Capela de São Miguel, acompanhado pela sua imagem projetada nas paredes, num momento que se quer “intimista”, frisou o diretor artístico. “É algo que deslumbra”, comenta Sérgio Machado, archeiro (antigo guarda universitário) da UC há 20 anos, aquando do ensaio realizado na quinta-feira. Já assistiu a muitas festividades na Universidade de Coimbra, mas esta, garante, “é única, uma coisa linda”, que parece transformar o Pátio das Escolas numa sala de cinema, conta.

Para além da intervenção na Universidade, vai ser realizada, também hoje, uma instalação de ‘video mapping’ interativa na fachada da Câmara de Coimbra, em que o público, com recurso a um ecrã tátil, poderá “colorir a fachada” com determinados motivos e padrões. Os dois espetáculos estão integrados nas Festas da Cidade de Coimbra, que decorrem até domingo.

A iniciativa é gratuita e decorre na Universidade de Coimbra de meia em meia hora, entre as 22:00 e as 00:30, enquanto a projeção na Câmara estende-se até às 01:00. A câmara e universidade coorganizam este evento, que está também inserido nas comemorações do Ano Internacional da Luz.