O secretário-geral do PS tem negociado com Álvaro Beleza quais os nomes de seguristas que vão aparecer nas listas de candidatos do partido em lugares elegíveis. A conversa ainda não chegou ao fim, mas de acordo com o ex-dirigente da direção de António José Seguro, está a correr bem. As listas finais só serão fechadas no dia 21 de julho.

“Acordámos que o processo deve ser inclusivo, plural nos vários distritos, tendo em conta a qualidade e a representatividade de cada distrito”, diz ao Observador Álvaro Beleza, o homem da ala segurista que tem conversado com António Costa sobre as listas de deputados. Beleza reuniu-se com o secretário-geral do partido na semana passada e os dois têm mantido conversas frequentes.

Na semana final de constituição das listas, os contactos têm sido mais frequentes até porque serão as federações distritais a proporem a maior parte dos nomes e há alguns casos, como Braga, Setúbal ou Leiria em que tem sido mais difícil uma negociação mais inclusiva.

“Não queremos que haja alguém que seja vetado só por ter sido apoiante de António José Seguro ou por ser amigo de José Sócrates”, acrescenta Álvaro Beleza. Beleza apoia-se no sinal dado pelo próprio António Costa que, em visita ao distrito de Braga – distrito onde António José Seguro era cabeça-de-lista -, chamou o partido de “partido em camadas”, transmitindo a ideia que as listas deveriam ser inclusivas. A ordem é incluir, mas só até determinado ponto.

Atualmente, a bancada do PS tem 20 deputados eleitos próximos de António José Seguro e é certo que nem todos conseguirão aparecer nas listas em lugares elegíveis. “É normal que haja renovação”, diz Beleza. Para já, é certo que Maria de Belém recusou a oferta de Costa de ser a cabeça de lista pelo Porto. Belém quer estar livre para uma possível candidatura à Presidência da República. E Alberto Martins é dado como certo em Coimbra, distrito onde poderia também aparecer o próprio Álvaro Beleza. Este segurista deverá no entanto ser um dos nomes a constar na lista por Lisboa, na mesma lista de Costa para passar a ideia de que o partido está unido.

Para completar o calendário socialista, a Comissão Política do partido reúne-se esta sexta-feira à noite para fechar o perfil dos candidatos e na próxima semana será a vez das federações distritais (que escolhem a maioria dos candidatos a que acrescem depois os nomes escolhidos pelo líder) e por fim, as listas finais serão aprovadas em nova Comissão Política marcada para dia 21 de julho.