Engenharia

Esta vai ser a piscina mais profunda do mundo

135

A Universidade de Essex está prestes a destronar a NASA na construção da piscina mais profunda do mundo. O objetivo é utilizá-la para investigações e treinos.

Este é o plano daquela que pode vir a ser a piscina mais profunda do mundo

University of Essex/ Facebook

Cinquenta metros. Esta vai ser a profundidade (e o comprimento) da piscina que a Universidade de Essex, no Reino Unido está a ponderar construir e que servirá para investigações e treino científico. Se o projeto for avante, esta vai ser a maior piscina da Europa e vai ultrapassar o tamanho da piscina de treino da NASA, que tem pouco mais de 12 metros de profundidade.

De acordo com a informação prestada pela Universidade, uma piscina com estas características vai permitir aperfeiçoar os programas de exploração espacial (ao simular ambientes de microgravidade) e estudar ambientes extremos existentes na natureza. Mas há mais: “Esta instalação vai ser usada em treinos de técnicas avançadas de mergulho comercial, psicologia humana e desenvolvimento de veículos remotamente operados”, pode ler-se no comunicado de imprensa.

A piscina será construída em Colchester Campus, onde estão localizadas as instalações de investigação da Universidade de Essex, e contará com o apoio da Blue Abyss, uma marca de material de mergulho. A obra custará 54 milhões de euros. Um dos avanços mais importantes conseguidos neste polo universitário é a invenção de peixes-robô utilizados no controlo da qualidade da água.

A BBC recorda outras três piscinas de dimensões impressionantes pouco aconselháveis a quem aguenta pouco tempo debaixo de água. Uma delas é a Y-40, a maior piscina do mundo neste momento, mas sem funções científicas: quem mergulha na água desta piscina quer apenas nadar. Existe desde 2014, tem 42 metros de profundidade e está localizada no Hotel Terme Millipini, em Itália.

Students swim during an apnea course by Italian free diver, Umberto Pelizzari, at the "Y-40 The Deep Joy" swimming pool on December 8, 2014 in Montegrotto Terme, northeastern Italy. The swimming pool is built over thermal sources bringing after cooling down a water at 32-34 degrees Celsius. Y-40, with its depth of 42mt, is officially included in the Guinness World Record as the deepest pool in the world for free and scuba diving.  AFP PHOTO / OLIVIER MORIN        (Photo credit should read OLIVIER MORIN/AFP/Getty Images)

Nemo 33 foi em tempos a piscina mais profunda do mundo, com 34 metros. Está aberta desde 2004, oito anos depois de se ter iniciado a sua construção em Bruxelas (Bélgica). O engenheiro John Beernaerts decidiu construir a piscina para apoiar os treinos de mergulho dos atletas em formação, que tinham de enfrentar “as águas perigosas do Atlântico Norte” se quisessem aprender este desporto. E o nome? É uma homenagem ao capitão Nemo, personagem dos livros de Júlio Verne em “Vinte Mil Léguas Submarinas”.

hMzrw

Depois sim, vem a piscina utilizada pelos cientistas da NASA. Chama-se “Laboratório de Flutuação Neutra” e é no seu interior que os astronautas experimentam a microgravidade antes de entrar no espaço. Fica em Houston (Texas, Estados Unidos) e obriga à utilização de um fato especial, semelhante aos que carregam quando viajam para lá da atmosfera terrestre. Mas tem apenas 12 metros de profundidade.

Spacewalk-Training-at-the-Neutral-Buoyancy-Laboratory-051714DB5A8E5136

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)