O lucro da Sonaecom disparou para 33,5 milhões de euros no primeiro semestre deste ano, valor que compara com 2,6 milhões de euros registados no período homólogo, informou hoje a empresa ao regulador do mercado.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a empresa liderada por Ângelo Paupério informou que o volume de negócio cresceu 14,9% para 67 milhões de euros, consequência do aumento em 15,3% das receitas de serviço e em 14,3% das vendas de equipamento.

Nos primeiros seis meses do ano, o EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) atingiu os 12,8 milhões de euros, um acréscimo de 10% face ao mesmo período do ano anterior, influenciada pelo contributo da ZOPT, que depende do resultado líquido da operadora NOS, cujo lucro subiu 8,3% no primeiro semestre deste ano, face a igual período de 2014, para 47,3 milhões de euros.

Até junho, os custos operacionais subiram 16% para 65,8 milhões de euros, com os custos de pessoal a aumentar 19,9% neste período, devido a um acréscimo no número de colaboradores.

No mesmo período também aumentaram os custos comerciais em 12,7%, para 18,6 milhões de euros, impulsionados pelo aumento do custo das mercadorias vendidas na área de ‘software’ e sistemas de informação (SSI), em linha com a evolução das vendas de equipamento.

A Sonaecom, dona do jornal Público, revela ainda que o diário foi o jornal generalista com maior crescimento no primeiro semestre deste ano, contrariando a tendência de queda iniciada em 2010.