A economia portuguesa voltou a crescer no segundo trimestre deste ano, pelo quinto trimestre consecutivo. O PIB cresceu 0,4% face ao trimestre anterior, é o terceiro desta dimensão de forma consecutiva, e 1,5% face ao mesmo trimestre do ano passado, beneficiando de uma aceleração da procura interna, sobretudo do investimento em solo nacional.

De acordo com a primeira estimativa do INE para o PIB do segundo trimestre, a economia está a crescer de forma consecutiva há cinco trimestres em cadeia (ou seja, face ao trimestre anterior). Quando a comparação é feita com o mesmo trimestre do ano anterior, a economia regista o sétimo trimestre consecutivo de subida.

Este crescimento beneficiou especialmente de um aumento do investimento, com as empresas a investirem para aumentar o seu nível de stocks, num sinal de que antecipam um maior nível de vendas. O consumo privado também aumentou, ainda que em menor grau.

Mas nem tudo é positivo. O INE sublinha que a procura externa líquida registou um contributo negativo “significativo” para a variação homóloga do PIB, registando-se novamente um crescimento das importações a um ritmo superior ao das exportações. Ainda que com o investimento a crescer, estes dados podem indicar um agravamento da posição externa de Portugal.